PM prepara escolta aos corintianos

A Polícia Militar prepara um esquema especial de segurança para evitar confronto de torcedores de Palmeiras e Corinthians, que se enfrentam amanhã no Pacaembu. Como o mando do jogo é do Palmeiras, os cerca de 2 mil corintianos de facções organizadas serão escoltados pela PM até o portão 22, o local da torcida visitante. Ruas próximas ao Pacaembu estarão fechadas a partir das 13h por motivos de segurança.

O Estado de S.Paulo

15 de setembro de 2012 | 03h04

A carga de ingressos colocada à venda para o clássico é de 36.700. A expectativa da PM é de que o Pacaembu receba pelo menos 30 mil torcedores - até ontem já haviam sido vendidos 22 mil ingressos. O setor de torcida visitante já está esgotado desde quinta-feira.

O confronto ganhou um componente de risco pela situação que vive o Palmeiras, ameaçado de rebaixamento. Para piorar, um teste no metrô faz com que a polícia fique ainda mais temerosa com possíveis confrontos pela cidade.

Em clássicos, a PM costuma usar uma linha de metrô só para a torcida visitante, que sai de sua sede até o Pacaembu. Escoltados, eles não se encontram com os torcedores rivais durante o trajeto, momento que geralmente mais acontecem as brigas.

O problema é que desde que esse novo esquema foi implantado é a primeira vez que o metrô não terá linha exclusiva para torcedores. O Metrô fará testes de um novo controle de trens, o que vai provocar a interrupção dos serviços em algumas estações, o que impossibilita a execução correta do esquema de segurança.

Com isso, os cerca de dois mil corintianos que vão ao jogo precisarão andar por mais tempo do que o habitual para chegar ao Pacaembu e, mesmo escoltados pela PM, o risco de confronto é muito grande. Além disso, a segurança nas outras estações de metrô, que vão funcionar normalmente, serão reforçadas. /D.B. e V.M

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.