Pódio faz Elisângela repensar aposentadoria

O bronze conquistado na prova do lançamento do disco pode fazer Elisângela Adriano repensar sua aposentadoria. A atleta, que completará 35 anos sexta-feira, se animou com a medalha, obtida com a marca de 60,27 metros. ''''Esta deveria ser minha despedida do Pan. Mas quem sabe eu não mude de idéia?'''', admitiu a lançadora, ouro no Pan de Winnipeg, em 1999. A campeã no Rio foi a cubana Yarelis Barrios, que lançou o disco a 61,72 m, apenas um centímetro a mais que a vice-campeã, Yania Ferrales, também de Cuba.Atingir 61 metros era o objetivo de Elisângela, que ficou feliz com o pódio, mas não com a marca. ''''Claro que é importante conquistar medalha no Pan do Brasil, mas meu resultado não foi muito bom'''', afirmou. ''''Fui para a minha última tentativa confiante, mas não deu.''''MARTELOAs brasileiras Josiane Soares e Katiuscia de Jesus foram eliminadas da disputa do lançamento do martelo - não conseguiram se classificar entre as oito finalistas.A cubana Yipsi Moreno conquistou o bicampeonato no lançamento do martelo. Na última das seis tentativas, alcançou 75,20 metros. Sua compatriota Arasay Thondike ficou com a medalha de prata (68,70 m) ao ultrapassar, no último lançamento, a argentina Jennifer Dahlgren (68,37 m).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.