Pole aumenta chances de Hamilton na briga pelo título

Inglês leva a melhor no treino de classificação do GP da Hungria. O líder Alonso larga em sexto e Vettel, em terceiro

LIVIO ORICCHIO, BUDAPESTE, O Estado de S.Paulo

29 de julho de 2012 | 03h05

A esperada pole position de Lewis Hamilton, da McLaren, o segundo tempo de Romain Grosjean, da Lotus, e o terceiro de Sebastian Vettel, da Red Bull, ontem na definição do grid do GP da Hungria, em Budapeste, aumentaram consideravelmente as chances de a Fórmula 1 entrar de férias com o campeonato bastante disputado. Fernando Alonso, da Ferrari, líder do Mundial, e Mark Webber, Red Bull, segundo colocado, vão largar hoje apenas em 6.º e 11.º em um circuito conhecido pela dificuldade de se ultrapassar. "O carro está ótimo e tudo funcionou muito bem. Tenho agora de manter a cabeça fria para a corrida", declarou Hamilton.

Nas últimas três etapas o piloto cabeça quente, apesar de inglês, somou apenas 4 pontos, do inexpressivo 8.º lugar em Silverstone. E largar em primeiro em Hungaroring pode lhe dar a segunda vitória na temporada. Mais importante: aproximá-lo dos três primeiros na classificação, Alonso, 154 pontos, Webber, 120, e Sebastian Vettel, 110. Hamilton ocupa a quinta colocação, com 92.

A nova versão do modelo MP4/27 da McLaren, apresentada no GP da Alemanha, há uma semana, representou um grande passo adiante no desempenho da equipe. "Todas as modificações que introduzimos deixaram o carro rápido e fácil de guiar", explicou Hamilton. É o grande favorito para vencer hoje a 11.ª etapa do calendário. O piloto da McLaren domina o fim de semana, ao ser o mais veloz nas duas sessões de sexta-feira e ontem estabelecer a pole com uma diferença significativa e pouco comum este ano para o segundo, 413 milésimos. Foi a pole de número 150 da McLaren e a 22.ª de Hamilton .

A etapa seguinte da temporada será apenas dia 2 de setembro, na pista mais apreciada pela maioria do pilotos, Spa-Francorchamps, na Bélgica. Até lá não é proibido qualquer atividade de pista.

Grosjean tem mais uma oportunidade para a Lotus conquistar a primeira vitória no campeonato, ao largar em segundo, sua melhor colocação no grid. "Nosso ritmo de corrida costuma ser melhor que nos treinos", comentou. Já Vettel lembrou que ninguém tem velocidade para acompanhar Hamilton na Hungria. Por isso, a possibilidade de vitória de Grosjean reside essencialmente na maior autonomia dos pneus Pirelli em seu carro. "Administrar o desgaste dos pneus aqui será a chave para vencer", explicou Hamilton. Os pneus a disposição em Budapeste são os supermacios e os macios e o calor é intenso - 31 graus durante a classificação, ontem.

Alonso demonstrou resignação com o sexto tempo, depois de largar na pole nas duas últimas provas. "Quando não dá para vencer, em condições normais, temos de somar o máximo de pontos", disse o espanhol. Felipe Massa, seu companheiro, realizou bom treino ao ficar em sétimo, somente 56 milésimos atrás. Nessa fase de definição do segundo piloto da Ferrari, será fundamental para Massa conquistar um bom resultado hoje. Bruno Senna, da Williams, larga em nono na prova marcada para as 9 horas, horário de Brasília.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.