Robson Fernandjes/AE
Robson Fernandjes/AE

Poliana diz que poderá competir na Olimpíada de 2016

Brasileira campeã da Copa do Mundo de maratonas aquáticas terá 33 anos nos Jogos do Rio de Janeiro

Agencia Estado

23 de outubro de 2009 | 10h43

A brasileira Poliana Okimoto foi ao Esporte Clube Pinheiros, clube que defende, nesta sexta-feira, em São Paulo, onde comentou a conquista do título da temporada 2009 da Copa do Mundo de maratonas aquáticas. A nadadora comemorou o feito na última quarta-feira depois de completar em primeiro lugar a 12.ª etapa da competição, em Sharjah, nos Emirados Árabes Unidos.

Veja também:

linkPoliana Okimoto conquista a Copa do Mundo

Em entrevista ao canal SporTV, Poliana voltou a ressaltar o fato de ter vencido o medo do mar para triunfar neste ano e revelou que poderá disputar até os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio, quando terá 33 anos de idade.

Para justificar a condição de seguir nadando em alto nível até lá, ela citou o exemplo de outra competidora de destaque que possui a mesma idade que ela terá quando acontecer a Olimpíada no Brasil. "Tem uma alemã, de 33 anos, a Angela Maurer (campeã mundial), que compete e está cada vez melhor. Já ganhou de mim e está cada vez melhor. A maratona aquática dá esse lastro maior e essa condição de poder nadar por mais tempo", afirmou.

Já ao comentar as dificuldades encontradas durante as provas que disputou neste ano, Poliana disse que agora vive uma relação harmoniosa com o mar. "Eu tenho muito mais prazer, uma paixão muito grande de nadar no mar... Eu respeito muito o mar, acho lindo o mar, os peixes, os corais, tem prova que a gente consegue ver os peixes, é uma criação de Deus", ressaltou a nadadora, que depois festejou o fato de nunca ter enfrentado uma situação realmente desesperadora diante de um animal de grande porte, por exemplo, no mar.

"Tubarão eu nunca vi de perto, graças a Deus, só vi no aquário, mas a gente já nadou com água viva, golfinho..., sempre tem água viva, mas é uma coisa da maratona aquática. Eu perdi esse medo e consigo nadar relaxada. Antes eu entrava para a prova muito contraída e preocupada", reforçou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.