Polícia de Sochi procura por três possíveis mulheres-bomba

Procuradas fariam parte do grupo checheno 'viúvas negras', que tem aterrorizado a Rússia

Agência Estado

21 de janeiro de 2014 | 11h49

SOCHI - Oficiais de segurança russos estão à procura de três possíveis mulheres-bomba, sendo que uma delas já estaria em Sochi, onde acontecerá os Jogos Olímpicos de Inverno a partir do mês que vem. A ação é mais uma prevenção da polícia local a ataques terroristas, já que o evento é considerado de alto risco pela organização.

Policiais de Sochi foram vistos distribuindo panfletos alertando a população local sobre estas três mulheres. Ruzanna Ibragimova, de 22 anos, foi a única que os oficiais indicaram que está na cidade. Sobre as outras duas, Zaira Aliyeva, de 26 anos, e Dzhannet Tsakhayeva, de 34, disseram apenas que "elas estão entre nós".

De acordo com a polícia, as três mulheres fariam parte do grupo checheno "viúvas negras", que tem aterrorizado a Rússia. As autoridades culparam esta organização por outros ataques suicidas que aconteceram no país, como os dois ocorridos na cidade de Volgogrado, a 690km de Sochi, em dezembro, quando 34 pessoas morreram e muitas outras ficaram feridas.

É sob esse clima de apreensão e preocupação com a segurança que os Jogos Olímpicos de inverno começarão no dia 7 de fevereiro, com término previsto para dia 23. Apesar de toda a operação montada pelas autoridades locais, há a desconfiança de que "alvos fáceis" fora das instalações olímpicas, como ônibus e pontos turísticos, estejam vulneráveis a ataques.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.