Sebastien St-Jean/AFP
Sebastien St-Jean/AFP

Polonês supera dominicano e deve ser oficializado como novo presidente da Wada

Atual ministro do Esporte e do Turismo da Polônia, Witold Banka, vai assumir o cargo em novembro

Redação, Estadão Conteúdo

14 de maio de 2019 | 16h35

Atual ministro do Esporte e do Turismo da Polônia, Witold Banka deve ser oficializado em novembro como o novo presidente da Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês). Nesta terça-feira, o dirigente superou o dominicano Marcos Diaz em eleição realizada pelo Comitê Executivo da entidade.

O evento, que aconteceu em Montreal, contou com a presença de 21 integrantes do Comitê e também do Conselho de Fundação da Wada. Com a decisão do grupo, Banka só precisa agora ser oficializado no cargo de presidente na Conferência Mundial Antidoping, que curiosamente acontecerá em seu país, na cidade de Katowice, entre os dias 5 e 7 de novembro.

O polonês de 34 anos tem no currículo uma importante medalha de bronze, conquistada no revezamento 4x400 metros no Mundial de 2007. Seu rival, Marcos Diaz, também atleta da maratona aquática. Ainda havia na disputa a norueguesa Linda Helleland, atual vice-presidente, que não obteve apoio suficiente para entrar no pleito.

"Este é um importante dia para mim e também para a Polônia", comemorou Banka, que vai substituir o escocês Craig Reedie - liderava a entidade desde 2014. O polonês será o quarto presidente da Wada, sucedendo também o canadense Dick Pound (1999-2007) e o australiano John Fahey (2008-2013).

Tudo o que sabemos sobre:
Agência Mundial Antidoping

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.