Ponte: desafio é seguir invicta contra grandes

Maior vilã dos grandes clubes nesta temporada e considerado o visitante mais ingrato do Estadual, a Ponte Preta acredita ter a fórmula para segurar o Santos, hoje, na Vila Belmiro, pelas quartas de final do Campeonato Paulista. O plano do técnico Gilson Kleina é marcar o adversário por zona e atuar com praticamente apenas um atacante. E para vencer, vai usar a velocidade nos contra-ataques.

, O Estado de S.Paulo

23 de abril de 2011 | 00h00

Na fase classificatória, o time campineiro terminou na 5.ª colocação, com 32 pontos, com 9 vitórias, sendo 6 delas atuando longe de seus torcedores. Contra os times grandes, bateu Corinthians e São Paulo, ambos fora de casa e por 1 a 0; o Palmeiras, por 2 a 1, em Campinas, onde empatou com o próprio Santos (2 a 2).

Sabendo das dificuldades de enfrentar o time da Baixada Santista na Vila Belmiro, o técnico Gilson Kleina levou todo o elenco para Jarinu, interior de São Paulo, onde buscou mais concentração. Ele elogiou o adversário, mas aposta no bom desempenho ponte-pretano. "Vamos enfrentar a equipe que mais coloca jogadores na seleção, com qualidade individual fortíssima, mas aqui todos estão respirando o "mata-mata" e canalizamos nosso objetivo. A Ponte já provou neste campeonato que pode vencer os grandes e que tem muito futebol. É isso que faremos."

Gilson Kleina vai apostar na velocidade e não terá nenhum homem de referência. O meia Renatinho vai atuar um pouco mais adiantado, ao lado de Márcio Diogo, em tese, o único atacante. A ,maior aposta fica para a versatilidade dos três volantes - Mancuso, Josimar e Gil - que marcam e saem para o jogo. Quem deixa de ser opção no ataque é o rápido Tiago Luís que está emprestado pelo próprio Santos. Ele só poderia ser utilizado se a Ponte pagasse multa de R$ 300 mil, mas o clube não aceitou.

VILÃ DOS FAVORITOS

3

vitórias e um empate somou a Ponte Preta contra os grandes neste Estadual. O único que não perdeu foi justamente o Santos, no empate por 2 a 2.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.