Ponte e Oeste: ordem é definir logo a classificação

Com 29 e 27 pontos, respectivamente, Ponte Preta e Oeste estão próximos da classificação para as quartas de final do Campeonato Paulista. No entanto, o jogo de hoje às 18h30, em Itápolis, acabou ganhando ares de decisão para ambos. Isso porque nenhum dos dois times quer deixar a definição da classificação para a última rodada, quando enfrentam duas pedreiras: Palmeiras, em Campinas, e São Paulo, na Arena Barueri.

Anelso Paixão, O Estado de S.Paulo

10 de abril de 2011 | 00h00

A Ponte pode entrar em campo já classificada, isso se o São Caetano for derrotado pelo Corinthians no Pacaembu, um pouco antes, às 16 horas.

Mas nem isso faz o técnico Gilson Kleina se sentir tranquilo para a partida. Ele quer ver a Ponte dar início a uma arrancada rumo às quartas de final, quando os jogos serão eliminatórios.

O time terá quatro novidades em relação ao que venceu o Bragantino na rodada passada: Wellington, Amaral, Rômulo e Válber. "Estou muito feliz em voltar ao time e espero abraçar a oportunidade se o "professor" Gilson me confirmar. Estou há um bom tempo aqui na Ponte Preta e não vinha tendo oportunidades, apesar de ter jogado contra o Prudente", diz o zagueiro Wellington, provável substituto do suspenso Ferron.

O meia-atacante Márcio Diogo concorda e ressalta que a Ponte tem que entrar em campo pensando em conquistar mais três pontos. "Temos de manter o trabalho que estamos fazendo e confirmar essa classificação em boa posição, independentemente dos resultados das outras partidas. O Oeste vem brigando conosco no G8, mas esperamos manter essa sequência de bons jogos fora de casa", diz.

Desespero em Lins. Também hoje, o Linense, que ainda luta contra o rebaixamento, recebe o Bragantino, às 18h30, em Lins, tentando respirar um pouco mais aliviado.

Seu adversário, ao contrário, já não tem chances de chegar ao G8 e corre risco muito pequeno de rebaixamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.