Ponte Preta busca 3ª vitória seguida e promete ser mais ofensiva

A Ponte Preta tenta emplacar a sua terceira vitória consecutiva dentro do Campeonato Brasileiro diante do Sport, neste sábado, às 21 horas, no estádio Moisés Lucarelli, pela 14.ª rodada. É um duelo entre dois clubes que, em tese, disputam uma competição paralela para se manter na elite em 2017. Com 20 pontos, o time paulista defende a oitava posição e atuando em casa deve ser mais ofensivo para aproveitar a má fase do adversário, com 12 pontos, em 18.º lugar.

Estadão Conteúdo

09 de julho de 2016 | 06h40

A mudança tática também tem relação às baixas para este jogo. A principal delas é a saída do volante Matheus Jesus, suspenso com três cartões amarelos, que formou um trio defensivo ao lado de João Vitor e Renê Júnior. Quem entra no meio-campo é Thiago Galhardo, um meia, portanto, mais ofensivo. O time vai ter, às vezes, o recuo de Clayson do ataque para o meio, variando entre os esquemas 4-3-3 e 4-4-2.

Com três marcadores no meio-campo, a Ponte conseguiu o equilíbrio que lhe valeu sete pontos nos últimos três jogos. Empatou com o Vitória, por 1 a 1, em Salvador (BA), depois venceu o Santa Cruz, por 3 a 0, no Arruda, e venceu o São Paulo, por 1 a 0, em Campinas. O ataque vai ter três jogadores agudos, os rápidos Felipe Azevedo e Clayson e o centroavante finalizador William Pottker, com quatro gols.

"O sistema a gente vai adaptando de acordo com as características de cada jogador que vai entrar. Mas o Matheus entrou e encaixou bem na equipe", lembra o técnico Eduardo Baptista, que fechou os últimos treinamentos, na quinta-feira no centro de treinamento e nesta tarde de sexta no gramado do Majestoso. O técnico explicou os motivos que o elevaram a não divulgar, inclusive, a escalação do time.

"Metade do time do Sport trabalhou comigo no começo de ano e sabe como eu gosto de armar meu time. Então a gente tenta dificultar ao máximo o adversário, mesmo porque o Sport é uma grande equipe. A sua condição na tabela não condiz com os jogadores que tem e vai reagir a qualquer hora. Só espero que não seja contra a gente".

As outras duas mudanças já eram esperadas. Na defesa, o zagueiro Antonio Carlos, de 23 anos, emprestado pelo Flamengo, deve estrear na vaga de Fábio Ferreira, também suspenso por causa de cartões amarelos. No ataque, o artilheiro Felipe Azevedo, com cinco gols, volta após ser vetado diante do São Paulo por conta de um trauma no tornozelo. Ele entra no lugar de Wellington Paulista.

Eduardo Baptista comentou com muito respeito sobre o adversário, no qual foi preparador físico em 2007 e campeão da Copa do Brasil ao lado do pai Nelsinho Batista, atualmente no Vissel Kobe, do Japão, e em 2014, quando teve a chance de virar técnico e conquistar outros dois títulos importantes, o da Copa do Nordeste e o Pernambucano.

Ele começou esta temporada no time pernambucano, mas se transferiu para o Fluminense antes de chegar à Ponte Preta no início do Brasileiro. "O Sport sempre me deu ótimas oportunidades e isso é para sempre. Mas dentro do regime profissional, hoje sou defendo a Ponte Preta e farei tudo para ganhar", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.