Ponte Preta surpreende e demite técnico Alexandre Gallo

A reformulação da Ponte Preta começou pela comissão técnica. Na noite desta sexta-feira, a diretoria surpreendeu ao anunciar a demissão do técnico Alexandre Gallo. Junto com ele, foram desligados o auxiliar técnico Valdir Benedito e o preparador físico Lucas Benchimol. Nos próximos dias, Eduardo Baptista, que estava no Fluminense, deve ser anunciado como treinador para o restante da temporada.

Estadão Conteúdo

15 de abril de 2016 | 20h08

O fato curioso é que Gallo deixa o time de Campinas com sete vitórias, dois empates e três derrotas. Ele ostentou um aproveitamento de 64% dos pontos. Com tais números em toda a competição, a Ponte teria se classificado com campanhas inferiores apenas as de Corinthians e Santos. Além disso, colocou o time na segunda fase da Copa do Brasil ao eliminar a Caldense-MG, vencendo fora por 2 a 1 e empatando em casa, quinta-feira à noite.

O desligamento foi informado pelo time campineiro apenas através de uma nota oficial. "A diretoria de futebol agradece o bom trabalho de Gallo, profissional competente e ético que sai com portas abertas na Macaca, e deseja ao treinador boa sorte nos futuros desafios. O nome de um novo comandante deverá ser anunciado em breve", destacou a nota.

O nome do novo treinador deve ser Eduardo Baptista, que chegou a ser cotado antes da chegada de Gallo, em fevereiro. O acerto só não ocorreu porque não houve a liberação do Fluminense. Ele, inclusive, já se reuniu com o gerente de futebol Gustavo Bueno, com quem trabalhou no Sport, e o coordenador de futebol Cristiano Nunes.

A Ponte Preta terá um mês de preparação para o Brasileirão. A estreia está prevista para 14 ou 15 de maio contra o Figueirense, em Florianópolis (SC). Até lá, o elenco passará por uma reformulação. Já chegaram o zagueiro Kadu, o lateral Diogo Mateus e o volante Renê Júnior. Outros nomes cotados são o zagueiro Renato Chaves, do Fluminense, e o atacante Roger, do Red Bull Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.