Ponte quer mais do que apenas fazer figuração

Um grande clube da capital, o Palmeiras, contra um time tradicional do interior, a Ponte Preta. Nem o técnico Sérgio Guedes, da Ponte, tem dúvidas sobre quem é o favorito ao título paulista: o alviverde do Palestra Itália. Mas favoritismo não ganha jogo, diz. Esse o alento da equipe de Campinas."Sabemos que um time grande é sempre o favorito, mas isso não vai nos impedir de lutar com tudo em campo", disse o treinador. "Chegamos à final e queremos mais. Não sei se conseguiremos, mas podem estar certos de que faremos de tudo ao nosso alcance para conseguirmos mais."A Ponte Preta tem desfalques importantes para a primeira partida da decisão: o meia Elias, com uma fratura na costela, o zagueiro César e o meia Renato, suspensos pelo terceiro cartão amarelo, além do lateral-direito Eduardo Arroz, expulso contra o Guará. JOGO EM CAMPINAS? Os dirigentes da Ponte Preta participam hoje da reunião do Conselho Arbitral da FPF, e acreditam que, pela primeira vez, o clube poderá, domingo, mandar um jogo de etapa final de campeonato no Estádio Moisés Lucarelli, chamado por sua torcida de Majestoso.Desde a semana passada, o presidente Sérgio Carnielli rasgou elogios ao "bom senso" dos dirigentes da FPF. "O Marco Polo del Nero (presidente) é inteligente e sabe que o interior pode organizar uma final. Tenho certeza de que ele tomará a melhor decisão para todos", afirmou. A decisão sai na reunião de hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.