Popó deve seguir entre os pesos leves

O futuro do boxeador Acelino ?Popó? Freitas já está traçado. Depois de conquistar o título dos leves da Organização Mundial de Boxe, diante de Artur Grigorian, na madrugada de domingo, em Foxwoods, o brasileiro anuncia nas próximas semanas seu calendário para 2004 e 2005. O pugilista, que desembarca nesta quinta-feira, às 6h30, no Aeroporto Internacional de Guarulhos, deverá abdicar dos cinturões dos superpenas da Organização Mundial de Boxe (OMB) e Associação Mundial de Boxe (AMB). ?O Popó tem 30 dias para decidir e vai escolher o melhor para o seu futuro?, disse Antonio Garrido, advogado do lutador. Popó deverá fazer uma defesa opcional do título dos leves até o fim do primeiro semestre. Depois, Artur Pellullo, seu empresário, vai tentar uma unificação com o boxeador romeno Leonard Dorrin, campeão pela Associação Mundial de Boxe e invicto em 21 lutas. O ano de 2005 deverá ser marcado pelo maior desafio de Popó em dez anos de carreira. O lutador baiano poderá ter pela frente o norte-americano Floyd Mayweather, campeão dos leves pelo Conselho Mundial de Boxe e apontado pela crítica como o melhor da categoria na atualidade. O maior obstáculo será saber se Mayweather, que está invicto em 31 duelos, seguirá entre os leves ou subirá de categoria. O combate com Mayweather ficará mais viável se Popó acertar contrato com o canal HBO. O seu compromisso com a rival Showtime terminou após a luta com Grigorian e durou seis combates. Além da possibilidade de encarar Mayweather, lutando pela HBO, Popó poderá assinar um contrato temporário, o que lhe garantirá uma boa compensação financeira. A Showtime, por meio do seu presidente, Jay Larkin, já anunciou que os contratos serão renovados a cada luta. Preliminares - Duas vitórias e uma derrota brasileira nos combates preliminares de Popó x Grigorian. O meio-pesado Laudelino Barros perdeu sua invencibilidade e o título latino-americano, ao ser derrotado pelo norte-americano Danny Batchelder, por pontos, após 12 assaltos. Dois jurados viram Batchelder como vencedor e anotaram 116 a 112, enquanto o outro jurado deu a vitória para o brasileiro: 115 a 113. Laudelino perdeu pela primeira vez, após 17 lutas. Já o meio-médio Juliano Ramos segue invicto. Seu adversário, Antonio Ramirez, da República Dominicana, foi desclassificado a 1min43 do quarto assalto por aplicar golpe irregular. Juliano soma 13 vitórias consecutivas. O resultado mais expressivo entre os brasileiros foi obtido por Valdemir Pereira, o Sertão, que derrotou o africano Rodgers Mtgawa por nocaute, no oitavo assalto, ao aplicar dois bons contra-golpes. Sertão acumula 15 vitórias, com 12 nocautes.

Agencia Estado,

05 de janeiro de 2004 | 18h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.