Popó recebe alta e deixa hospital

Depois de quatro dias internado no Hospital Aliança de Salvador, o pugilista Acelino Popó Freitas recebeu alta na manhã de hoje dos neurologista Aroldo Bacelar e Elias Pimenta que trataram do lutador. Ele deixou o hospital sorridente e bem-humorado, lembrando que se o pai, "seu" Babinha fosse vivo ainda iria "apanhar" em casa. "Ele sempre me dizia que se eu levasse porrada na rua iria apanhar dele", brincou. Acompanhado da mulher Eliane Guimarães, o pugilista seguiu para sua casa no Condomínio Encontro das Águas, no Litoral Norte da Bahia, onde pretende passar entre 20 dias e um mês descansando. Após esse período, discutirá com o empresário Artur Pelulo quando e com quem vai lutar. Popó manifestou novamente o desejo de seu próximo combate ser realizado no Brasil. Ele disse que estava se sentindo muito bem, mas que não iria "encarar" a famosa feijoada de sua mãe dona Zuleica Freitas, após passar quatro dias se alimentando no hospital. "Seria suicídio", brincou. A mãe preparou para o filho um frango com quiabo para comemorar a alta médica. Os neurologistas disseram que Popó foi medicado com analgésicos para tratar a dor de cabeça que o levou ao hospital. O tempo que ficou em observação foi explicado pelo fato deles precisarem observar se o pugilista iria voltar a sentir dores na cabeça após a suspensão do medicamento. Como isso não ocorreu e os exames deram normal, decidiram dar alta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.