Popó vê ACM e lança nome na política

Depois de agradecer ao Senhor do Bonfim, protetor dos baianos, na tarde de segunda-feira, logo após desembarcar em Salvador, o campeão unificado dos superpenas Acelino Popó de Freitas visitou nesta terça-feira as principais autoridades "terrenas" da Bahia, o governador César Borges e o ex-senador Antonio Carlos Magalhães, ambos do PFL. No encontro com ACM, Popó manifestou o desejo de seguir carreira política quando "pendurar as luvas" e quer se filar ao partido carlista. "É um homem que tem qualidades inclusive para a política e daria um bom deputado estadual", disse Magalhães disposto a "apadrinhar" a futura empreitada do campeão.Rouco após a festa que os parentes e amigos prepararam para lhe receber, Popó parecia anestesiado com tudo o que ocorreu na sua vida. "Ainda não dormi direito para acordar bem e saber o que é ser campeão unificado, ter dois títulos mundiais de campeão", disse no seu segundo compromisso do dia, ao chegar no Palácio de Ondina, onde o governador e a primeira-dama do Estado, Tércia Borges, o aguardavam. "Mas nunca vou deixar isso subir à minha cabeça", observou, garantindo que continua o mesmo "rapaz humilde" do Bairro de Baixa de Quintas, periferia de Salvador."Tive uma criação ótima, apesar de todas as dificuldades que passei", emocionou-se o pugilista, chorando ao lembrar ter "passado fome e dormido no chão". Essa experiência de vida foi, para Popó, fundamental na sua conquista.Projeto - Logo que chegou na residência do governador, Popó informou que vai doar as réplicas dos cinturões para que possam ser usados na arrecadação de recursos destinados a programas sociais. "Vim agradecer o apoio e comunicar oficialmente que estou doando os cinturões às Voluntárias Sociais (entidade presidida por dona Tércia) leiloar", disse. Borges agradeceu em nome dos baianos ao feito de Popó. "A Bahia hoje está internacionalmente conhecida no boxe e no esporte por causa de Popó", declarou. D. Tércia informou que fará um leilão diferente com os cinturões do campeão. "Vamos convocar empresas para adquirir os cinturões e doá-los para o centro esportivo que estamos construindo na Favela de Alagados", disse.Esse projeto, que deve ser inaugurado até o final do primeiro semestre, conta com as participações de Popó, do meia Vampeta do Corinthians e da bailarina Rosana Abubakir. "A gente quer os cinturões expostos na academia que funcionará nos Alagados para atendimento de crianças carentes", contou a primeira-dama.

Agencia Estado,

15 de janeiro de 2002 | 16h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.