Por medo de terrorismo, Volta da França contará com 23 mil policiais

Ainda sob estado de exceção, em razão dos atentados terroristas de novembro em Paris, a França vai deslocar 23 mil policiais para dar segurança a fãs e ciclistas que vão disputar a tradicional Volta da França, entre os dias 2 e 24 de julho. O governo prometeu até equipes de forças especiais para evitar qualquer ameaça terrorista.

Estadão Conteúdo

24 de maio de 2016 | 09h14

A medida foi anunciada após reunião do responsável pela organização da prova, Christian Prudhomme, com o ministro do interior, Bernard Cazeneuve. Não será o único desafio das autoridades quanto à segurança, uma vez que a França vai sediar a Eurocopa quase ao mesmo tempo da disputa da prova de ciclismo. A competição de futebol vai de 10 de junho a 10 de julho.

A segurança da Volta da França deve dar mais trabalho às autoridades por causa das circunstâncias da disputa, na qual as corridas acontecem em diferentes cidades. A torcida costuma ficar na margem do trajeto, exigindo maior atenção da polícia, mais vulnerável a ataques terroristas.

A França está em estado de exceção desde novembro do ano passado, quando Paris sofreu uma série de ataques que causaram a morte de 130 pessoas. Por essa razão, eventos esportivos e locais turísticos e religiosos vêm ganhando atenção especial das forças de segurança nos últimos meses.

Tudo o que sabemos sobre:
ciclismovolta da francaParisFrança

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.