Portas abertas na Vila dos atletas

Complexo, que abrigará cerca de 16 mil pessoas, foi inaugurado ontem

Pequim, O Estadao de S.Paulo

28 de julho de 2008 | 00h00

Os atletas já podem chegar sem medo. Novíssimos apartamentos, restaurantes, casas de chá e até um espaço para compras estão à espera das estrelas do esporte mundial. A Vila Olímpica, inaugurada ontem, a 12 dias da cerimônia de abertura dos Jogos, foi aberta com grande festa e já conta com alguns célebres inquilinos. Veja mais fotos da festa na Vila Olímpica A grande comemoração só foi ofuscada pela poluição. Uma nuvem cinza, como há algum tempo não se via em Pequim, cobriu boa parte da paisagem e algumas das instalações mal podiam ser avistadas no horizonte. Mas, mesmo assim, os primeiros hóspedes chegaram e crianças animadas, com bonecos dos mascotes da Olimpíada nas mãos, fizeram festa. Os chineses, é claro, foram os primeiros no complexo de 42 prédios, que receberá mais de 16 mil atletas de mais de 200 países.Os gigantes Yao Ming, Yi Jianlian e Wang Zhizhi, astros da equipe chinesa de basquete, lideraram o grupo de 265 atletas e treinadores que inauguraram o espaço. O diretor do comitê organizador dos Jogos, Liu Qi, entregou as chaves da Vila Olímpica para Chen Zhili, nomeada prefeita do espaço. "Estamos encantados de receber nossos primeiros convidados", disse Che, ao abrir oficialmente as portas da Vila.Ainda ontem, chegaram ás instalações os primeiros atletas estrangeiros. 42 esportistas da Polônia, entre eles a equipe de handebol e a nadadora Otylia Jedrzejczak, ouro em Atenas, desembarcaram em Pequim e seguiram para o local. Mais tarde, 168 membros da delegação cubana também foram para a Vila.Os primeiros atletas brasileiros chegam a Pequim amanhã. Na vila, a equipe de remo encontrará integrantes da Missão Brasileiros, que está na cidade desde o dia 23. Na quinta-feira, as seleções de saltos ornamentais, basquete feminino, boxe e ginástica artística reforçam o grupo tupiniquim. Os brasileiros ficarão em três torres do edifício C6.ESTRUTURATodos os espaços da Vila Olímpica estão preparados para receber atletas com as mais diferentes tradições e hábitos. "Procuramos satisfazer pessoas de diversas culturas e religiões", disse Chen. Por isso, no espaço há salas para celebrações do cristianismo, hinduísmo, islamismo, judaísmo e budismo.Além disso, as áreas comuns foram projetadas para atender um verdadeiro batalhão. O restaurante, por exemplo, tem capacidade para receber 5 mil pessoas ao mesmo tempo. Para facilitar a vida dos atletas, a vila ainda tem cabeleireiro, uma agência de correio, áreas de compras, uma biblioteca e sua própria estação de bombeiros. Os esportistas que não gostarem de comida chinesa, também não precisam se preocupar: cafeterias espalhadas por lá servem comida ocidental - e também asiática, é claro - 24 horas por dia. A Vila Olímpica fica a apenas 25 minutos de caminhada das instalações mais importantes dos Jogos. O Estádio de Nacional e o Cubo D?água, onde ocorrerão as competições de natação, ficam nas imediações (em um dia claro podem ser facilmente vistos de lá).Depois das competições, todos os apartamentos serão vendidos. Cada um deles (que possuem entre 60 e 90 metros quadrados) foi avaliado entre US$ 500 mil e US$ 1 milhão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.