Miguel A. Lopes/Efe
Miguel A. Lopes/Efe

Portugal é o grande que corre mais perigo nas Eliminatórias

Em terceiro na chave, equipe enfrentará nas duas próximas rodadas seleções que estão à frente

O Estado de S.Paulo

21 de março de 2013 | 02h06

As Eliminatórias Europeias para a Copa do Mundo do ano vem estão quase na metade, e terão duas rodadas muito importantes nesta sexta e depois na terça-feira. Portugal, a seleção em situação mais delicada entre as grandes, precisará de dois bons resultados para não afundar.

Sétima colocada no ranking da Fifa, a equipe é apenas a terceira colocada no Grupo F com sete pontos (atrás de Israel, com sete, e Rússia, com 12). Na sexta, jogará fora de casa contra Israel, e terça-feira receberá a Rússia.

Na Europa, o campeão de cada grupo e o melhor segundo colocado se classificam para o Mundial. Os oito segundos colocados restantes lutarão por mais quatro vagas em quatro confrontos com jogos de ida e volta. Assim, se Portugal acabar em terceiro na chave não terá mais chance de vir ao Brasil.

A outra seleção grande que não pode bobear é a Inglaterra, que está atrás de Montenegro no Grupo H. E tem um jogo a mais do que a Polônia, que ocupa a terceira posição com três pontos de desvantagem. Na sexta, terá pela frente San Marino, o saco de pancadas da chave, e terça jogará fora de casa contra Montenegro.

O único grupo que tem duas seleções de primeiro escalão é o I: Espanha e França. E as duas conseguiram sete pontos em três rodadas (o confronto direto em Madri terminou 1 a 1). Na briga pela vaga direta no Mundial, as duas se enfrentarão terça-feira no Stade de France, em Saint-Denis.

Se a campeã europeia (Espanha) tem uma desafiante pela primeira posição, a vice (Itália) navega por águas tranquilas rumo à Copa do Mundo. Lidera sua chave com folga, jogará contra a lanterna Malta terça-feira e ainda receberá Bulgária e República Checa.

BOBEADA

A Alemanha só não está em situação semelhante no Grupo C por causa da grande bobeada que deu no jogo em casa com a Suécia, em que vencia por 4 a 0 e cedeu o empate. Tem três pontos de vantagem sobre a seleção sueca, mas disputou uma partida a mais.

A Holanda também não pode respirar tranquila, embora comande o Grupo D com 100% de aproveitamento (12 pontos em quatro jogos). É que há duas equipes a apenas três pontos de distância: Hungria e Romênia.

Nas chaves em que não há nenhuma seleção grande, a situação mais cômoda é a da Suíça. Lidera com três pontos de vantagem sobre a Noruega, e fará dois jogos seguidos contra Chipre - o lanterna.

No Grupo A, Bélgica e Croácia têm dez pontos. O confronto direto decisivo será dia 11 de outubro na Croácia.

No Grupo G, Bósnia e Grécia estão empatadas com dez pontos. E se enfrentarão amanhã na Bósnia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.