Portuguesa cede empate ao Grêmio e se complica

Resultado de 2 a 2 deixa a equipe rubro- verde na mira do Sport, que ontem passou pelo Botafogo em casa

O Estado de S.Paulo

19 de novembro de 2012 | 02h02

O sofrimento da torcida da Portuguesa parece não ter mais fim: depois de abrir uma vantagem de 2 a 0, cedeu empate por 2 a 2 com o Grêmio, ontem à noite, no Canindé, e complicou sua situação para escapar do rebaixamento. Com 41 pontos, ficou só um à frente do Sport, o primeiro time do grupo dos piores. Esse resultado também definiu matematicamente a queda do Palmeiras para a Série B.

No primeiro tempo, o jogo foi equilibrado, com a maior parte da disputa se centralizando no meio de campo. Com só um lateral de origem, pela direita, a Lusa conseguiu a rigor apenas uma jogada real de gol. Foi aos 44 minutos: Boquita cruzou da direita e o zagueiro Rogério, que ontem atuou improvisado pela esquerda no lugar do capitão suspenso Marcelo Cordeiro, cabeceou no canto alto direito para grande defesa do goleiro Marcelo Grohe.

A Lusa voltou mais confiante para o segundo tempo. E aos 7 minutos chegou ao seu gol: Naldo se jogou em cima de Moisés na área e o juiz marcou pênalti, que Moisés converteu. Embalada, a Portuguesa continuou no ataque e chegou ao segundo gol aos 15 minutos: Luís Ricardo ajeitou para Léo Silva finalizar para a rede. Depois, o goleiro Glédson, que substituiu o suspenso Dida, fez grande defesa em chute de Pará. Aos 28, começou a reação do Grêmio: de cabeça, o atacante André Lima fez o primeiro. E, aos 32, Zé Roberto, em grande jogada individual, empatou a partida. No fim, o Grêmio tirou proveito da instabilidade do rival e quase virou o jogo,

Sport vence. Com um gol de Gilberto e outro de Henrique, no segundo tempo, o Sport venceu o Botafogo por 2 a 0, ontem à noite, no Recife, e continua na luta para tentar escapar do descenso. O time pernambucano tem agora 40 pontos.

Bahia ganha no sufoco. Em um jogo tenso, o Bahia venceu a Ponte Preta por 1 a 0, no Pituaçu, gol do lateral-direito Neto, aos 35 minutos do segundo tempo. A equipe passou a somar 43 pontos. "Não deu na qualidade, deu na raça", disse o centroavante Souza. O primeiro tempo foi quase todo da Ponte. Tranquilo no campeonato, o time de Campinas tirou proveito do nervosismo do adversário e finalizou dez vezes a gol, enquanto o Bahia, apenas duas.

Na segunda etapa, na base da correria, o Bahia tomou a iniciativa do jogo. E, depois de o goleiro Edson Bastos fazer duas defesas milagrosas em sequência, o Bahia chegou ao gol da vitória. Hélder ajeitou um cruzamento para o lateral-direito Neto chutar colocado no canto direito do goleiro da Ponte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.