Portuguesa derruba o Grêmio

A Portuguesa não se deixou intimidar pelo líder do Campeonato Brasileiro e deu um grande passo para tentar se livrar da volta à Série B ao vencer o Grêmio por 2 a 0, ontem à noite, no Canindé. A Lusa, que tem agora 31 pontos, se reabilitou, deixou a zona de rebaixamento e ainda deu uma força para o São Paulo e o Palmeiras, que estão na luta pelo título e têm como um dos adversários o time gaúcho. Lusa sai da zona do descenso e ainda ajuda Palmeiras e São Paulo Quem ganhará o título do Brasileiro? Acesse e vote na enquete Como estava pensando apenas na sua própria situação, a Portuguesa tomou a iniciativa e criou as melhores chances no primeiro tempo. E ainda foi prejudicada pela arbitragem, que não assinalou um pênalti cometido por Réver - tocou o braço na bola dentro da área. O juiz, porém, estava muito longe do lance e nada marcou.Logo aos 50 segundos, o centroavante Washington nem acreditou na chance que apareceu à sua frente, depois de cruzamento de Patrício: o goleiro Victor falhou na saída, mas o atacante errou a cabeçada. Com mais vontade que o adversário, a Lusa procurava o gol e teve outra boa chance com Edno, que recebeu de Washington mas girou para fora. A única, e excelente, chance do Grêmio, que insistia em bolas altas para o jogador mais alto em campo, o atacante uruguaio Richart Morales (1m98), aconteceu nos pés do zagueiro Pereira: livre, na entrada área, teve tempo de ajeitar a bola e m um rebote, mas chutou para fora.A marcação da Lusa continuou eficiente e o time paulista conseguiu criar mais uma oportunidade em um contra-ataque, aos 42 minutos: Edno se atrapalhou e finalizou fraco, facilitando a defesa do goleiro.No intervalo, Edno se queixou do estado do gramado. "Precisamos trabalhar mais a bola, tocar mais. E tomarmos mais cuidado com as bolas altas. Acho que naquele lance do final do primeiro tempo, se não fosse o ?morrinho?, teria feito o gol." A reclamação de Morales era parecida. "Campo muito pequeno, fica complicado", disse.Apesar das deficiências técnicas, a Portuguesa continuou com mais vontade no segundo tempo, enquanto o Grêmio insistia no jogo aéreo. E não é que o feitiço se voltou contra o feiticeiro? Aos 10 minutos, Preto arriscou um chute de fora da área no cantinho direito, mas o goleiro Victor conseguiu desviar para escanteio. Na cobrança de Athirson, o zagueiro Ediglê, livre, cabeceou para a rede, colocando a Lusa na frente.A partir daí a Portuguesa tratou de se cuidar. Depois da entrada do volante Gavilán, o time ficou mais fechado ainda e pouco permitiu ao Grêmio, um time confuso e sem criatividade.Os últimos minutos foram dramáticos. A Lusa aproveitava o desespero do adversário e arriscava uns contra-ataques. Washington perdeu um ?gol feito? aos 38 minutos. Mas, nos acréscimos, a Lusa acertou o pé. Heverton lançou para Edno, livre, invadir a área, driblar o goleiro e chutar para a rede. Só aí a torcida da Portuguesa, aliviada, começou a festa. JOGOS QUE FALTAM Quinta-feira - Sport (casa) 29/10 - Cruzeiro (fora) 2/11 - Figueirense (casa) 9/11 - Palmeiras (fora) 16/11 - Coritiba (casa) 23/11 - Vitória (fora) 30/11 - Ipatinga (fora) 30/12 - Atlético-MG (casa)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.