Paulo Pinto/AE
Paulo Pinto/AE

Possebon aproveita brecha para se firmar como titular

Com Arouca e Charles machucados, volante tem tido oportunidade de se destacar e até fez seu 1.º gol pelo Santos sábado

MARCIUS AZEVEDO, O Estado de S.Paulo

07 de fevereiro de 2011 | 00h00

SÃO PAULO - A chegada de Rodrigo Possebon ao Santos estava mais para aquelas contratações que dificilmente dão frutos. Ele teve 30% dos seus direitos federativos adquiridos do Manchester United e assinou com o alvinegro praiano por quatro anos. Mas não jogava.

O volante passou quase o segundo semestre inteiro do ano passado sem ser relacionado. Possebon chegou em setembro, mas só foi estrear na 34.ª rodada do Campeonato Brasileiro, no empate com o Atlético Mineiro por 2 a 2, dia 6 de novembro.

"Eu demorei para jogar porque cheguei em setembro e não tinha condição física de jogo. Vim da Europa e o pessoal da Vila já era campeão da Copa do Brasil e do Paulista", comentou.

Segundo ele, tudo está sendo diferente neste ano porque foi possível trabalhar com o grupo desde o início da temporada. No mesmo ritmo dos demais, Possebon está conquistando o seu espaço com Adilson Batista. "Fazendo pré-temporada, iniciando do zero, é bem diferente, porque todos têm condições de mostrar o potencial", afirmou o volante, que também está aproveitando o fato de o treinador não ter jogadores importantes no setor de meio de campo.

Titular em 2010, Arouca sofre com uma lesão muscular na coxa esquerda e ainda não jogou este ano. O também volante Charles, que foi contratado por indicação de Adilson Batista, é outro lesionado do elenco. Ele só deve voltar a jogar em março.

Enquanto isso, Possebon aproveita. O volante tem feito bons jogos no Paulista. Tem se mostrado eficiente na marcação e demonstrado qualidade para sair com a bola, mesmo que, às vezes, falte um pouco mais de ousadia.

Contra o Santo André, sábado, no Pacaembu, Possebon apareceu bem posicionado na área em uma cobrança de escanteio, e marcou o seu primeiro gol pelo Santos em um belo chute de pé esquerdo, garantindo o empate por 1 a 1. "Espero que seja o primeiro de muitos. Dei sorte de a bola ter sobrado, dominei e marquei com a perna contrária."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.