Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Pouco a pouco, Paulinho passa a ser fundamental

Jogador mostrou ter aproveitado bem a pré-temporada e tem se tornado decisivo em jogos do Corinthians

VÍTOR MARQUES, O Estado de S.Paulo

12 de fevereiro de 2012 | 03h02

Contra o Ituano, ele marcou um gol raro, de voleio. Diante do Mogi Mirim, arrancou pela lateral direita e deu ao Corinthians um pênalti em Liedson. Paulinho começou 2012 da mesma maneira que terminou 2011: jogando bem e carregando o meio de campo do time de Tite.

Num momento em que Tite tem receio de "estourar" jogadores com excesso de partidas neste início de temporada, surpreende a disposição de Paulinho. Ele é uma exceção no grupo. Participou dos seis jogos disputados no Estadual. E não foi substituído em nenhum deles. O que mostra que ele aproveitou a pré-temporada.

Cada vez mais Paulinho torna-se peça fundamental para a equipe. Ainda mais depois de um 2011 em que foi importante na conquista do título brasileiro, o que lhe rendeu até a premiação dos melhores do campeonato. "Não tenho dúvida que foi o melhor ano da minha carreira, tenho de fazer mais ainda para manter essa regularidade, sempre tem algo a melhorar", disse.

A jogada que Paulinho fez contra o Mogi Mirim, na última quarta-feira, quando arrancou de trás, passou por marcadores até chegar ao ataque é sua marca registrada. "O Tite sempre me pede para eu aparecer como um homem-surpresa no ataque. Mas deixo para os atacantes decidirem as partidas", afirmou depois de marcar contra o Ituano.

Outra virtude sua são os chutes de média distância, embora não tenha arriscado nenhum este ano. Mas, no geral, desde que chegou ao clube, marcou 16 gols, número alto para um jogador de sua posição.

Liderança. Aos poucos, ele também se torna um líder dentro do grupo. Contra o Mogi, quando o time ganhava por 1 a 0, mas jogava mal, ele foi certeiro ao dizer, ainda no intervalo, que faltava à equipe matar o jogo. Ele estava certo. O Corinthians não mudou sua postura no segundo tempo e sofreu o empate no final do jogo.

Taticamente nenhum outro jogador do elenco faz sua função. O que o torna um atleta sem substituto porque nenhum marca e ataca tão bem quanto ele. Ainda assim, Paulinho sabe que o clube procurou outros volantes, inclusive um para sua posição (Guilherme, da Portuguesa). Mas isso não o abalou. "Eu prefiro jogar todos os jogos, mas se vier outro será bem-vindo."

O Corinthians tem outros dois jogadores que, teoricamente, poderiam roubar seu lugar no time. Edenílson e Ramirez. Mas Tite não vê as coisas assim. Edenílson está sendo transformado em primeiro volante. Isso porque não há reserva para Ralf. Como Edenílson é rápido e tem fôlego para marcar os noventa minutos, virou uma opção.

Já Ramirez tem entrado no time como meia direita quando Tite poupa alguns de seus armadores, casos de Alex ou Danilo. Com a chegada de Douglas, que hoje deve entrar no segundo tempo, Paulinho ganha um novo parceiro. Douglas, apesar de canhoto, jogará mais pelo lado direito. Tite, assim, já desenha um novo meio de campo para a Libertadores, com Ralf, Paulinho, Douglas e Alex.

Libertadores. Paulinho defende a mesma posição de Tite em não poupar jogadores no Estadual por causa da Libertadores - a estreia do Corinthians será na quarta-feira, contra o Deportivo Táchira, na Venezuela.

O volante diz acreditar que as duas competições se completam e que ir bem no Estadual ajudará o time na Libertadores.

E também faz uma consideração importante para o time jogar a competição continental com mais tranquilidade. "Ano passado foi diferente porque tivemos um jogo decisivo cedo (contra o Tolima). Hoje não, entramos direto na fase de grupos."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.