Poy, Artime, Cejas,Tevez... Eles fizeram história

Apesar da proximidade dos países, poucos argentinos vieram atuar no futebol brasileiro e tiveram sucesso. Os principais jogaram nos times de São Paulo e do Rio. Cada time paulista pode se orgulhar de ter tido pelo menos um craque em ação. O Palmeiras contou com o atacante Artime apenas durante 12 meses, de 1968 a 1969. Mas foram 48 gols em 57 jogos.No São Paulo, José Poy fez história como goleiro e como treinador. Com a camisa 1 do Tricolor foram 515 jogos de 1949 a 1962. Para os mais antigos, o melhor que já apareceu no clube. Atualmente tem a forte concorrência de Rogério Ceni.O Santos foi o maior time do mundo na época de Pelé e teve em suas escalações a presença de grandes jogadores argentinos. A classe do zagueiro Ramos Delgado chamava a atenção das arquibancadas tanto quanto os gols de Coutinho, Pelé e Edu, que levaram a equipe da Vila Belmiro ao tricampeonato paulista em 1967/68/69. Mais tarde, em 1973, Cejas, com suas plásticas defesas, marcou época. O Corinthians demorou muito mais para ter o seu argentino fora de série. Ele veio do Boca Juniors, em 2005. Carlitos Tevez, com garra, técnica e muitos gols, ganhou a admiração da Fiel. Ao lado de Nilmar, Roger e Carlos Alberto, formou um ataque inesquecível, que levou o time do Parque São Jorge ao título brasileiro.No Rio, Doval, "El Gringo", foi ídolo, artilheiro e campeão no Flamengo e Fluminense. Ganhou o Carioca de 1972 pela equipe da Gávea e o de 1976 pelo Tricolor. Andrada, do Vasco, foi um grande goleiro, mas ficou marcado por ter levado o milésimo gol de Pelé, em 1969.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.