Prass lamenta 'bobeira na bola parada' em derrota no seu 200º jogo pelo Palmeiras

Fernando Prass não conseguiu pontuar como gostaria a marca de 200 jogos com a camisa do Palmeiras. Na noite em que atingiu esse número expressivo, neste domingo, o goleiro acabou sendo batido junto com a sua equipe na derrota por 1 a 0 para o Ituano, no estádio Novelli Júnior, em Itu, pela segunda rodada do Campeonato Paulista.

Estadao Conteudo

13 Fevereiro 2017 | 12h14

Após o confronto, o jogador lamentou o fato de que o seu time sofreu o único gol da partida após uma falha de marcação da defesa, que viu o volante Guly, de 1,89m, nem precisar sair do chão para cabecear a bola das redes após completar uma cobrança de escanteio.

"A gente no primeiro tempo não conseguiu criar muitas chances de gol, mas não estava um jogo ruim para nós. No segundo tempo a gente deu bobeira na bola parada e aí o jogo se transformou e ficou à feição do Ituano, que se fechou atrás, com os dez jogadores atrás da linha da bola, marcando e dificultando muito pra gente", analisou Prass, em entrevista ao SporTV na beira do gramado logo após a derrota.

O goleiro também admitiu que faltou maior competência ao Palmeiras na parte ofensiva e que a equipe se viu mais vulnerável atrás por ter sofrido o gol aos 6 minutos do segundo tempo e foi obrigada a buscar de forma mais intensa no mínimo o empate, o que também gerou mais espaços para os contragolpes do Ituano. "A gente não vinha tendo competência para criar as chances de gol e eles ficaram muito perigosos no contra-ataque porque o nosso time estava indo muito pra cima", completou.

Ao jogar neste domingo, Prass se tornou o oitavo goleiro a atingir 200 partidas pelo Palmeiras em todos os tempos, assim como virou o 73º jogador com mais atuações pelo clube no geral, superando Moreira, Pierre e Rocha, todos com 199 confrontos.

Em número de jogos no gol alviverde, Prass só está atrás de Emerson Leão, recordista de confrontos na posição pelo clube, com 620 ao total, Marcos (533), Valdir de Moraes (480), Velloso (456), Oberdan Cattani (353), Sérgio (333) e Gilmar (289). Primo, com 183 jogos, e Jurandyr, com 133, foram os outros dois goleiros que mais vezes atuaram com a camisa palmeirense em toda a história.

Mais conteúdo sobre:
futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.