Prata em Toronto, Scheidt se despede dos Pan-Americanos com histórico vencedor

Com a medalha de prata em Toronto, Robert Scheidt se despediu dos Jogos Pan-Americanos. Nas edições que participou, ele conquistou três ouros e duas pratas no total. "Provavelmente é meu último Pan. Foi uma honra representar o Brasil mais uma vez. Tiro boas lições dessa competição para me preparar para a Olimpíada", diz.

PAULO FAVERO, Estadão Conteúdo

18 de julho de 2015 | 15h25

Aos 42 anos, ele explica que chegou sem estar no auge da sua forma, até porque participou recentemente do Mundial, quando não teve um bom desempenho. "A medalha de prata no Pan serve para começar bem um novo ciclo de preparação para 2016. O evento-teste em agosto, no Rio, será uma ótima oportunidade para mostrar resultado."

Ele sabe que a classe Laser exige muito do preparo físico, mas lembra que a experiência também é muito importante. "Não tenho mais 25 anos, então tenho de dosar um pouco. Preciso encaixar o treinamento para chegar no auge nas competições mais importantes. Mas na vela, já ter passado por pressão e vivido experiências conta muito", garante.

A medalha de ouro ficou com Juan Maegli, da Guatemala, que ficou em quarto lugar no último Mundial. "Eu optei por largar mais por fora, só que o vento não ajudou. Até encostei nele na primeira boia, mas ele soube se defender bem e manteve a dianteira", comenta Scheidt.

Agora, ele aguarda a convocação da Confederação Brasileira de Vela, que pode oficializar o atleta como representante do Brasil nos Jogos Olímpicos. "É essa disputa por uma vaga que te tira da cama cedo e te faz treinar mais. Pelo menos aqui conquistei o objetivo, que é sempre sair com medalha", conclui.

Tudo o que sabemos sobre:
Jogos Pan-AmericanosvelaScheidt

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.