Pré-Olímpica de Vela começa hoje em Búzios

A delegação brasileira de vela que vai aos Jogos Olímpicos de Atenas, em agosto, começa a ser definida na Pré-Olímpica Brasil de Vela 2004, no Iate Clube Armação de Búzios, no Rio. Os vencedores das classes que já têm vaga na Olimpíada - Star, Laser, Finn, Mistral masculino e feminino, 49er e 470 masculino -, serão declarados representantes do País em Atenas. No caso da Tornado, 470 feminino e Europa, que ainda não garantiram lugar para o Brasil no torneio olímpico, os ganhadores da Pré-Olímpica asseguram o direito de disputar as seletivas que ainda serão realizadas.A competição nacional será longa - o objetivo, segundo a Federação Brasileira de Vela e Motor, é assegurar que vençam os atletas mais bem preparados em cada classe. Haverá duas séries de nove regatas, com direito ao descarte de dois resultados e um intervalo de quatro dias entre uma fase e outra. A primeira série começa nesta segunda-feira e vai até sexta-feira. A segunda, será entre os dias 10 e 14.Das 66 medalhas que o Brasil já ganhou em Olimpíadas, desde 1920, 12 vieram com a vela. As quatro mais recentes, dos Jogos de Atlanta (1996) e Sydney (2000), foram conquistadas por iatistas que também são o principal destaque da Pré-Olímpica: Torben Grael e Marcelo Ferreira, na classe Star, e Robert Scheidt, na Laser. De Atlanta, trouxeram duas medalhas de ouro. De Sydney, Scheidt trouxe prata; Torben e Marcelo, o bronze (Torben ainda tem mais duas medalhas olímpicas).E é justamente na Laser e na Star que o Brasil tem chances de aumentar a coleção de medalhas olímpicas. Robert Scheidt considera que a competição em Búzios é a mais importante deste início de temporada. Se confirmar o favoritismo na Pré-Olímpica, o hexacampeão mundial da Laser poderá, então, partir para a principal meta do ano: a conquista da terceira medalha olímpica da carreira. "Preciso confirmar a vaga em Atenas para tentar outra medalha olímpica, meu grande sonho", afirmou o iatista, de 30 anos, por meio de sua assessoria de imprensa. Scheidt já havia avisado que "sumiria" na temporada, significando o menor envolvimento possível com atividades não relacionadas diretamente com a preparação olímpica, como entrevistas, programas de TV e eventos de patrocinadores.A polêmica criada em torno do fechamento dos bingos - o Bingo Augusta, de São Paulo, é o seu patrocinador mais antigo -, fez Scheidt ficar ainda mais "sumido". Não opinou sobre o tema, principalmente para ficar distante de polêmicas que pudessem desviar sua atenção. Além do Bingo Augusta, tem apoio do Banco do Brasil, Varig e Volvo e integra a Equipe Petrobrás de Vela.Além de iatistas já consagrados, como Torben Grael e Marcelo Ferreira, favoritos na Star, e Scheidt, a Pré-Olímpica também vai testar velejadores que brigam por espaço, como João Signorini, o Joca (Finn), Ricardo Winicki, o Bimba (Mistral) e André Fonseca, que forma dupla com Rodrigo Linck, na 49er. Joca, que se cansou de ser superado por Scheidt na classe Laser, engordou dez quilos e foi para a Finn, está ansioso e sabe que terá em Bruno Prada o principal rival entre os quatro competidores que disputarão vaga na sua classe.

Agencia Estado,

01 de março de 2004 | 09h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.