'Precisamos cuidar para não superestimar a tática'

ENTREVISTA - PAULO VINÍCIUS COELHO , Jornalista

, O Estado de S.Paulo

16 de abril de 2011 | 00h00

O time de colunistas do Estado ganhou um reforço que os torcedores de antigamente costumavam definir como "de seleção brasileira". A partir de amanhã o jornalista Paulo Vinícius Coelho, que já trabalha na rádio Estadão ESPN, passa a integrar a equipe, com análises aos domingos. Nas segundas-feiras destrinchará esquemas táticos com a sua tradicional Prancheta do PVC.

O jornalista começou como repórter da revista Placar, no início dos anos 90. Nos canais de tevê ESPN Brasil e ESPN atua desde o ano 2000.

Você talvez tenha sido o colunista que mais se notabilizou com análises táticas recentemente. Como surgiu isso?

Na verdade, antes de mim, já havia gente fazendo isso, mas talvez o interesse fosse diferente. Acho que consegui aproveitar um momento mais propício para fazer isso, até na questão gráfica, colocar a "prancheta" ali no papel. Ao mesmo tempo, temos de saber que futebol não é só isso. Precisamos ter cuidado para não superestimar a tática.

Aí entra a sua coluna de domingo. Como você pretende usar este espaço?

É um desafio. Tenho mais espaço agora do que tinha antigamente. A coluna de domingo vai ter opinião, mas pretendo partir do resultado de minha apuração também. É importante passar para o leitor informações relevantes dentro do que é mais quente. Tenho de fazer este espaço maior ser um aliado.

A ideia é aproveitar seu lado repórter também então?

Sim, tenho uma rotina de apuração para o meu blog (http://espn.estadao.com.br/pauloviniciuscoelho). Ligo para os clubes da Série A toda sexta-feira para ter uma visão ampla do futebol nacional e desenvolvi organograma que facilita meu trabalho.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPVC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.