Albert Gea/Reuters
Albert Gea/Reuters

Prefeito de Madri assegura arenas vazias em eventos esportivos até o fim do verão

Caso o Campeonato Espanhol retorne às atividades, os jogos, a princípio, não contariam com torcedores nos estádios

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de abril de 2020 | 13h28

A pandemia do novo coronavírus afetou o esporte no mundo todo em diversos aspectos, desde atrapalhar o calendário das competições, até mesmo impactando o lado econômico de ligas e clubes. Na Espanha, o prefeito de Madri garantiu que mesmo que os eventos voltem a ser realizados - não só de futebol, mas de diversos outros esportes -, estes não contarão com a presença de torcedores nas arquibancadas até pelo menos o fim do verão no país.

Em entrevista realizada a uma rádio espanhola neste sábado, José Luis Martínez-Almeida disse que o Campeonato Espanhol, assim como outras competições esportivas, vai ser finalizado com os portões fechados caso volte às atividades. Segundo o político, a covid-19 "não vai ser controlada" para que grandes eventos sejam retomados com grandes públicos.

"Na primavera e no verão, não haverá eventos com multidões na Espanha, e possivelmente no outono também não", declarou Martínez-Almeida. "Enquanto nós não estivermos com a pandemia sob controle total, teremos que mudar todos os nossos velhos hábitos antes mesmo de podermos voltar para as ruas."

O Campeonato Espanhol não será retomado até o final de maio e o presidente da La Liga, Javier Tebas, disse que espera contar com os primeiros duelos sendo retomados com os estádios vazios. "Jogos de futebol sem torcedores no verão são possíveis, desde que sejam observadas as condições de saúde e segurança", ressaltou o prefeito.

A Real Federação Espanhola de Futebol (Rfef, da sigla em espanhol) disse durante esta semana que se o torneio nacional não puder continuar, então serão utilizadas as atuais posições na tabela para determinar as vagas na próxima Ligas dos Campeões. Barcelona, Real Madrid, Sevilla e Real Sociedad ocupam as primeiras posições, respectivamente.

A entidade disse ainda que deverá perder bilhões de euros se o Campeonato Espanhol não for finalizado, sendo os direitos de transmissão não pagos como um dos problemas mais sérios. A estimativa é de que se a competição for concluída com os portões fechados, então seriam perdidos cerca de 300 milhões de euros, enquanto essa perda seria reduzida pela metade se os torcedores pudessem entrar nos estádios.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.