Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Prefeito quer maratona entre as maiores, mas exalta 'status próprio' de Jerusalém

Competição deve receber cerca de 30 mil corredores, sendo 3.500 estrangeiros

Gabriel Melloni, enviado especial a Jerusalém*, Estadao Conteudo

16 de março de 2017 | 14h46

Em seu sétimo ano, a Maratona de Jerusalém será disputada na madrugada de quinta para sexta-feira (horário de Brasília). Esta será a maior edição da competição na capital israelense, que deverá receber cerca de 30 mil corredores, sendo 3.500 estrangeiros, de acordo com a organização do evento.

Apesar do crescimento, a prova, que começou ainda tímida em 2011, está muito distante do alcance e da importância das maratonas consideradas "Majors", grupo restrito que inclui apenas as corridas realizadas em Nova York, Chicago, Boston, Tóquio, Berlim e Londres. Mas isso não parece incomodar o prefeito de Jerusalém, Nir Barkat, que garantiu em entrevista exclusiva ao Estado: "Jerusalém tem seu próprio status".

Barkat tem 57 anos e idealizou o evento quando completou 50. Na comemoração de seu aniversário em 2009, decidiu disputar a prova em Nova York e vislumbrou o apelo que uma maratona em Jerusalém poderia ter. Orgulhoso do resultado de seu projeto, ele prefere exaltar o peso histórico e as belezas do lugar que serve de berço para três das principais religiões do mundo: catolicismo, judaísmo e islamismo.

"É um evento de educação, para ensinar as pessoas sobre Jerusalém e o país (Israel). Promove o esporte, mas o mais importante é mostrar as pessoas da cidade, a espiritualidade, o sagrado. E integrado nisso tudo, está o evento esportivo maravilhoso. É uma combinação de tudo", avalia.

O prefeito destaca que ele próprio foi responsável pela escolha do trajeto, que passa por pontos históricos de Jerusalém, como a Cidade Velha. "Decidi percorrer os mais bonitos e importantes pontos da cidade. Então, não é apenas um evento de esporte, é espiritual, social. Esse é o papel de Jerusalém: unir as pessoas. É isso que a maratona está fazendo."

Barkat não nega que sonha um dia ver a Maratona de Jerusalém ter o mesmo peso das principais provas do mundo, mas, satisfeito, considera que ela cumpre seu papel no momento. "São cinco bilhões de pessoas pelo mundo que querem vir a Jerusalém uma vez na vida. Então, estamos nesta lista de maratonas que você precisa correr pelo menos uma vez antes de morrer."

*O repórter viajou a convite da organização da Maratona de Jerusalém.

Tudo o que sabemos sobre:
Maratona de Jerusalématletismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.