M. Spencer Green/AP
M. Spencer Green/AP

Prefeitura de Chicago concede garantias à candidatura

Cidade terá cerca de R$ 3,8 bilhões para investir no evento se for escolhida pelo COI para os Jogos 2016

EFE

10 de setembro de 2009 | 09h24

A Prefeitura de Chicago aprovou por unanimidade conceder garantias financeiras plenas à candidatura da cidade à organização dos Jogos Olímpicos de 2016, o que lhe permitirá assinar o contrato com o COI se obtiver a sede, em 2 de outubro, uma disputa na qual o Rio de Janeiro também concorre.

Veja também:

especialRIO 2016 - Mais sobre a campanha pelos Jogos

especialOs prós e contras das candidatas aos Jogos 2016

Além de Chicago e Rio de Janeiro, Tóquio e Madri são as outras concorrentes a levar a sede dos Jogos de 2016 na eleição de 2 de outubro, durante a reunião do COI em Copenhague.

A ausência de garantias tinha levado a candidatura a solicitar ao COI uma modificação das condições do contrato para adaptá-lo a suas particularidades - dependência do investimento privado -, mas o organismo internacional se negou e criticou em seu relatório sobre as candidatas a falta de apoio financeiro público ao projeto.

A ordenança aprovada nesta quarta-feira na última reunião do conselho municipal autoriza o prefeito Richard Daley a assinar o contrato com o COI em caso de vitória. As garantias dadas pela cidade cobrem, entre outros aspectos, o orçamento de operações e a construção da Vila Olímpica.

"O risco financeiro de organizar os Jogos será partilhado pelos setores público e privado, mas, em todo caso, as garantias da cidade de Chicago proporcionam uma última segurança para o êxito dos Jogos", afirma um comunicado da Prefeitura.

"Achamos que nosso modelo público-privado é uma inovação. Vai além da plena garantia governamental, a fim de proteger os contribuintes e manter seu entusiasmo pelos Jogos. Nosso plano financeiro inclui um fundo de contingência de US$ 450 milhões para a organização, uma garantia de US$ 250 milhões do estado de Illinois e mais de US$ 1,4 bilhão em seguros privados", acrescenta a nota - o que dá um total de US$ 2,1 bilhão (cerca de R$ 3,8 bilhões).

O presidente da candidatura, Patrick Ryan, manifestou seu agradecimento "aos vereadores e aos habitantes por seu papel decisivo em fazer de Chicago a candidata mais forte já apresentada pelos Estados Unidos".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.