''''Prefiro a Renault à Ferrari e McLaren''''

Nelsinho Piquet: piloto de Fórmula 1[br]Estreante na categoria, ele diz que se sente em casa na equipe francesa, elogia Alonso e faz duras críticas a Ron Dennis

Entrevista com

Erica Akie Hideshima, O Estadao de S.Paulo

25 de janeiro de 2008 | 00h00

Nelsinho Piquet acelerou ontem pela primeira vez o novo modelo da Renault, o R28. Em Valência, fez o 12º tempo (1min12s973), em 89 voltas. Da Espanha, o companheiro do bicampeão Fernando Alonso falou ao Estado. Sem enrolação e sem medir palavras. Tem personalidade forte, como o pai.Você acredita que Ferrari e McLaren devem disputar o título ou a Renault tem chance?Não dá para falar agora. A Ferrari está na frente, está mais forte pelo que vimos até aqui. A McLaren faz coisas diferentes a cada treino, muda o carro. Qual foi sua reação quando soube que correria na Renault?Era realmente onde eu queria estar. Eu preferia ficar na Renault do que ir para a Ferrari ou a McLaren porque já me sinto em casa. Passei o ano passado todo trabalhando com essas pessoas, conhecendo cada engenheiro. Estar aqui me dá tranqüilidade.Você acha que tem personalidade fácil de trabalhar?Pergunte aos outros. Meu papel aqui é sentar no carro e andar rápido. Até agora cumpri bem o que deveria fazer.Como recebeu a notícia de que o (Fernando) Alonso seria seu companheiro de equipe?Excelente. Ele é um piloto com quem tenho muito a aprender. Ainda não conversamos muito, vamos nos falar mais quando a temporada começar realmente.Haverá 1.º e 2.º piloto?Obviamente que a preferência no início será para o Fernando, e isso é justo. Ele é o cara que senta no carro e sabe dizer o que está certo, o que está errado e o que tem de ser feito. Tem de dar mais ouvidos para ele. Não estou falando em fazerem um carro melhor para o Fernando. Será mais até eu sentir a segurança de sentar no carro e dizer do que gosto e do que não gosto. Até lá, é para o Alonso que devem dar mais atenção. Pretende ?infernizar? a vida dele, como fez o (Lewis) Hamilton?A situação era outra: a equipe era inglesa, o outro piloto era inglês, o chefe de equipe (o inglês Ron Dennis) era o empresário dele. Além disso, nosso chefe (Flavio Briatore) é bem melhor e mais inteligente do que eles têm lá (na McLaren) e não deixaria jamais chegar ao ponto que chegaram. A culpa era do chefe de equipe, que não soube controlar a situação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.