Lee Jin-man/AP
Lee Jin-man/AP

Premiado nos EUA, Phelps deixa programa antidoping e ratifica aposentadoria

Nadador chegou a ficar em dúvida, mas decidiu não competir mais profissionalmente

Estadão Conteúdo

22 de novembro de 2016 | 11h32

Maior atleta olímpico de todos os tempos, Michael Phelps deu um novo passo nesta sua nova fase de aposentadoria das piscinas. O astro norte-americano afirmou a jornalistas na noite de segunda-feira, antes de uma cerimônia de premiação da natação dos Estados Unidos, que já se retirou do programa de controle antidoping da USA Swimming, entidade que controla a modalidade no seu país, em um sinal claro de que, de fato, não competirá mais profissionalmente.

Embora a decisão já estivesse tomada desde antes dos Jogos Olímpicos do Rio, onde ele voltou a se consagrar para se despedir das piscinas, apenas agora o nadador comunicou que de fato não participará de competições, o que chegou a ficar em dúvida. Até pelo fato de que essa foi a segunda aposentadoria de Phelps, que anteriormente havia parado de competir pela primeira vez logo após os Jogos de Londres-2012, mas voltou atrás em sua decisão para poder disputar mais uma Olimpíada.

Na festa de premiação realizada em Nova York na noite desta segunda-feira, Phelps foi eleito o atleta do ano pela USA Swimming e faturou outras três honrarias - a dada para o eleito como dono da melhor prova do ano, pela sua performance nos 200m borboleta no Rio-2016. Ele também foi premiado como o nadador de melhor desempenho do ano no revezamento 4x100m livre, também na Olimpíada, e ainda ganhou o Prêmio Impacto, por suas contribuições ao esporte.

Ao discursar durante a premiação desta segunda, Phelps ressaltou que "encerrou sua carreira na natação de competição", mas avisou que "nunca ficará muito longe das piscinas", em um indicativo de que deverá seguir trabalhando de alguma forma para colaborar com a natação, mas não mais como atleta.

No Rio, em agosto, Phelps conquistou quatro medalhas de ouro (nos 200m, 400m, 800m livre e no revezamento 4x200m) e uma de prata (revezamento 4x100m livre) nos Jogos Olímpicos. Assim, ele fechou a sua história olímpica com incríveis 28 pódios, sendo que obteve 23 ouros, três pratas e dois bronzes.

Na mesma premiação que consagrou Phelps, Katie Ledecky, outro fenômeno mundial da modalidade, foi eleita a atleta feminina do ano pela USA Swimming.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.