Preocupação com segurança na Mauritânia cancela Rali Dacar

O Rali Lisboa-Dacar foi cancelado porquestões de segurança na Mauritânia, onde quatro turistasfranceses foram mortos no mês passado, informaram osorganizadores da tradicional prova nesta sexta-feira. A empresa francesa Amaury Sport Organisation, responsávelpela prova de 6.000 quilômetros, afirmou em comunicado quehavia recebido um conselho do governo francês para cancelar acorrida, que tinha largada marcada para sábado, em Lisboa. De acordo com a nota, "organizações terroristas" tambémhaviam feito ameaças diretas ao evento. O rali, originalmente conhecido como Paris-Dacar, erarealizada anualmente desde 1979, porém algumas etapas foramcanceladas no passado por questões de segurança. "Os organizadores do Dacar tomaram a decisão de cancelar aedição 2008 do rali programada para acontecer entre 5 e 20 dejaneiro entre Lisboa e a capital do Senegal", disse a AmaurySport. "Baseada na atual tensão política internacional e noassassinato de quatro turistas franceses... mas tambémespecialmente pelas ameaças diretas feitas contra a corrida pororganizações terroristas, nenhuma outra decisão poderia sertomada a não ser o cancelamento do evento esportivo." O governo francês alertou os organizadores do Dacar, naquinta-feira, contra a passagem da prova pela Mauritânia devidoao "risco de terrorismo". Três homens, que as autoridades suspeitam ser membros da AlQaeda, mataram a tiros quatro turistas franceses e feriram umquinto enquanto eles faziam um piquenique à margem de umaestrada no sul do país, próximo à fronteira com o Senegal, navéspera do Natal. Homens armados mataram três soldados três dias depois emuma região afastada e pouco povoada ao norte do país, nafronteira com Argélia e Marrocos, no deserto do Saara. Um porta-voz do Escritório Nacional de Turismo daMauritânia, Hamady Samb Ba, minimizou as preocupaçõesfrancesas, entretanto. "Isso é uma surpresa", disse ele, antes da corrida seroficialmente cancelada. "Seria um grande prejuízo à imagem dopaís. As preocupações deles são infundadas." O rali, um dos mais duros e perigosos desafios doautomobilismo mundial, tinha chegada prevista na Mauritânia em11 de janeiro. O país receberia 8 etapas do rali até 19 dejaneiro. Cerca de 570 equipes estavam inscritas para a 30a edição doevento, em que a Muitsubishi tentaria conquistar o oitavotítulo seguido na categoria carros. Dez pilotos brasileirosestavam inscritos nas categorias carros, motos e caminhões. (Reportagem adicional de Ibrahima Sylla, em Nouakchott)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.