Presidente deve rever os projetos de marketing

O fracasso na Libertadores pôs em xeque as ambiciosas estratégias de marketing que marcaram a gestão Andrés Sanchez à frente do Corinthians. Ronaldo, carro-chefe das campanhas publicitárias do clube, sofreu desgaste junto à torcida e deve ficar menos exposto nos próximos meses. Sem a bilheteria, as premiações e a exposição geradas pela Libertadores, o dirigente alvinegro ainda terá de lidar com a inchada folha salarial do elenco, estimada atualmente em cerca de R$ 7 milhões mensais.

Bruno Deiro, O Estado de S.Paulo

04 de fevereiro de 2011 | 00h00

No cargo desde 2007, Andrés Sanchez venceu a eleição em 2009 e tem mandato até fevereiro de 2012, mas promete ficar no cargo somente até dezembro. Mesmo após pegar um time recém rebaixado no Brasileiro em 2008 e revitalizar o clube, não foi poupado pela torcida: pouco depois da eliminação na Libertadores, as numerosas críticas levaram seu nome a figurar entre os termos mais citados mundialmente no Twitter.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.