Presidente do COI apoia luta de Tóquio por Olimpíada

O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Jacques Rogge, deu esperança à candidatura de Tóquio para a Olimpíada de 2020, nesta quinta-feira. De acordo com ele, a cidade japonesa não deve desanimar em apresentar seu projeto para receber a competição só porque a Coreia do Sul, também do continente asiático, sediará os Jogos Olímpicos de Inverno dois anos antes.

AE-AP, Agência Estado

14 de julho de 2011 | 10h16

Segundo Rogge, o COI não tem uma oposição formal a realizar competições em sequência no mesmo continente, como chegou a ser cogitado. O próprio dirigente lembrou de algumas situações em que isso aconteceu, como nos Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004, e de Inverno em Turim, em 2006.

"Existe a ideia de que há uma rotação automática de países, mas este não é o caso. Receberíamos com gosto uma forte candidatura de Tóquio", declarou o dirigente em uma conferência de imprensa, nesta quinta.

A cidade de Tóquio, que foi superada pelo Rio de Janeiro para sediar a Olimpíada de 2016, deve apresentar sua candidatura ainda esta semana. Com isso, concorrerá com Madri, Roma e Istambul, que já formalizaram o desejo de receber a competição.

O governador da capital japonesa, Shintaro Ishihara, afirmou que deseja conquistar a sede dos Jogos de 2020 para provar ao mundo que o país se recuperou da devastação provocada pelos terremotos em março deste ano. Caso vença a disputa, será a segunda Olimpíada que acontecerá no Japão - a primeira foi em 1964. O COI elegerá a sede apenas em 2013.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.