AFP | 01.03.2015
AFP | 01.03.2015

Presidente do COI reforça alerta contra atrasos em obras

Em entrevista, Thomas Bach, também explica sobre aposta que firmou com o prefeito da cidade carioca, Eduardo Paes

RONALD LINCOLN JR., O Estado de S. Paulo

28 de fevereiro de 2015 | 19h17

O Comitê Olímpico Internacional (COI) encerrou neste sábado a série de reuniões sobre os Jogos de 2016 reforçando a mensagem de que não há tempo para perder quanto à conclusão das obras. Em entrevista, o presidente do COI, Thomas Bach, explicou, em tom de brincadeira, a aposta que firmou com o prefeito do Rio, Eduardo Paes.

"Eu disse que quando viesse à abertura dos Jogos no Maracanã queria ter a oportunidade de agradecer a alguns operários pelo fim do trabalho. Paes me disse que gostaria de apostar que eu não teria operários para cumprimentar. Na verdade, eu quero perder essa aposta. E ainda assim vou agradecer", disse Bach.

Assim como nas sabatinas que sofreu no decorrer da semana, o dirigente foi muito questionado sobre as críticas que os projetos olímpicos têm sofrido em relação ao legado ambiental, principalmente quanto à construção do campo de golfe em uma área de preservação. Os ambientalistas também enfatizam o reconhecimento por parte do governo estadual de que a meta despoluição da Baía de Guanabara não será atingida.


O dirigente afirmou que confia no tratamento do governo sobre a preservação ambiental. E ressaltou que, se não fosse pela Olimpíada, algumas iniciativas, como a tentativa de despoluir a Baía de Guanabara, não teriam evolução.

Bach também foi questionado sobre a instalação de uma nova linha de metrô que beneficia apenas uma área nobre da cidade - ligando Ipanema até a Barra. "Teremos mais linhas de ônibus em outras áreas. Teremos mais infraestrutura, que vai criar emprego para muitos", justificou.
Tudo o que sabemos sobre:
OlimpíadaRio2016COIBachobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.