Presidente interino da Autoridade Pública Olímpica deve ser efetivado

A presidente Dilma Rousseff informou nesta terça-feira, no Rio, que o presidente interino da Autoridade Pública Olímpica (APO), Marcelo Pedroso, deverá ser efetivado no cargo. A indicação para o posto é feita pelo governo federal.

IGOR GADELHA, Estadão Conteúdo

12 de maio de 2015 | 19h58

"Estamos com mandato interno e possivelmente esse companheiro será transformado em permanente", respondeu, ao ser questionada por jornalistas em entrevista coletiva após reunião, na capital fluminense, com o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de 2016.

O general Fernando Silva foi a última pessoa a presidir a APO, deixando em cargo em fevereiro para assumir o Comando Militar Leste. A ex-jogadora de vôlei Ana Moser, presidente da ONG Atletas Pelo Brasil e principal voz contrária à escolha de George Hilton (PRB-MG) como ministro do Esporte no início do segundo mandato da presidente Dilma, chegou a ser convidada para chefiar a APO, mas as conversas esfriaram.

Nesta terça-feira, Dilma comentou que, na reunião com o Comitê Rio-2016, assumiu compromisso com o presidente do órgão, Carlos Arthur Nuzman, de participar "sistematicamente" de outras reuniões ao longo dos próximos meses e de integrar as ações do governo federal com os governos estadual e municipal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.