Presidente russo critica juízes do COI

O presidente russo, Vladimir Putin, criticou, nesta, o Comitê Olímpico Internacional (COI), enquanto seu país apresentava um protesto formal contra os juízes, que produziu a pior crise do movimento olímpico desde a ?guerra fria? (os norte-americanos boicotaram os Jogos Olímpicos de Moscou, em 1980, por causa da invasão ao Afeganistão; em resposta, os russos não foram à Olimpíada de Los Angeles, em 1984). Os russos, ameaçaram abandonar os Jogos de Salt lake City, já falaram em não participar da cerimônia de encerramento e até mesmo de boicotar os Jogos Olímpicos de Verão, em Atenas, em 2004, alegando que seus atletas têm sido vítimas de decisões tendenciosas dos juízes e organizadores.O presidente do COI, Jacque Rogge, escreveu para o presidente Putin para garantir que o COI compreende as emoções russas, mas está convencido que as decisões são corretas.Nesta sexta-feira, a pressão da Rússia incluiu um protesto formal contra o resultado da prova de patinação artística, vencida pela norte-americana Sarah Hughes. A patinadora russa, Irina Slutskaya, ficou com a medalha de prata, perdendo uma votação por 4 a 5 em favor da adolescente Sarah. O presidente da Federação de Patinação da Rússia, Valentin Piseyev, enviou o protesto à Federação Internacional de Patinação. Garantiu que a decisão dos juízes foi parcial e pediu que o COI usasse o mesmo critério de dar uma segunda medalha de ouro a Irina, como fez com a dupla canasende Jamie Sale e David Pelletier, por causa da suspeita sobre a conduta de uma juíza francesa.Na quinta-feira, a delegação russa ficou furiosa quando teve de retirar sua equipe feminina de esqui na prova de revezamento 4x5 km por causa do resultado no exame de sangue da esquiadora Larissa Lazutina, que apresentou elevado nível de hemoglobina. A notificação da desqualificação foi dada aos russos meia hora antes da prova. O resultado do exame de urina definirá se o caso de Lazutina é de doping. As russas eram favoritas.

Agencia Estado,

22 de fevereiro de 2002 | 19h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.