Primeiras aceleradas

Sempre tendo em mente a falta de referência nos treinos em que cada carro tem configurações e cronogramas diferentes de testes a serem seguidos, o que a semana de Jerez de la Frontera mostrou é que McLaren e Red Bull podem não estar sozinhas no comando da F-1 quando for dada a largada do Mundial de 2013. Ferrari e Lotus, provavelmente, estarão no mesmo nível ou muito próximas. E o Mundial terá surpresas como as do ano passado. Arriscaria a dizer que a bola da vez é a Force India, numa evolução que já vinha bem desde o último campeonato, embora tenha perdido o duelo com a Sauber pelo sexto lugar.

REGINALDO LEME, O Estado de S.Paulo

09 de fevereiro de 2013 | 02h03

Mesmo sem participar do último dia, quando o carro da Ferrari foi entregue ao reserva Pedro de la Rosa, Felipe Massa acabou ficando com o melhor tempo dos quatro dias, sendo o único a andar abaixo de 1min18seg. Massa virou 1min17s879. A referência a ser considerada é a marca de 1min17s613, a melhor da série de Jerez no ano passado, mas com uma ressalva. Para 2013 a Pirelli amoleceu os compostos de seus quatro tipos de pneus de pista seca, o que, por aumentar a aderência, deve tornar os carros atuais um pouco mais velozes.

Porém, atingindo mais rapidamente a temperatura ideal de funcionamento, também a degradação desses pneus é maior, especialmente em Jerez, pista que consome mais borracha do que qualquer uma das que fazem parte do campeonato. De qualquer forma, a ausência de Alonso, que preferiu dedicar-se a um programa de preparação física depois das férias, deixou Massa mais à vontade para desfrutar do novo carro.

McLaren e Red Bull mostraram carros constantes e velozes com todos os tipos de pneus e, consequentemente, levantam suspeita de que estão escondendo jogo. Pelo menos na Red Bull isso é habitual antes do início de cada temporada. A Lotus parece ter mostrado tudo, o que deu a Romain Grosjean o melhor tempo do segundo dia e a Kimi Raikkonen, o melhor ontem, no encerramento da série.

Os primeiros treinos do ano permitiram a estreia dos cinco novatos já garantidos no grid de 2013, mas, se depender do resultado obtido no último dia (segundo tempo, a 27 milésimos de Raikkonen), também a presença do francês Jules Bianchi na vaga da Force India pode estar garantida. O mexicano Esteban Gutierrez, que ocupa o lugar do compatriota Sergio Perez no bom carro da Sauber, foi o quarto no último dia. O finlandês Vateri Bottas (Williams) não poderia mostrar muita coisa porque nem carro novo a Williams tem. O holandês Giedo Van der Garde (Caterham) nunca ficou mais de dois décimos atrás do companheiro Charles Pic, que já tem um ano de F-1. E na Marussia, entre os dois estreantes - o inglês Max Chilton (Marussia) e Luiz Razia (Marussia) - a diferença foi mínima, 43 milésimos a favor do brasileiro.

A grande expectativa era ver Lewis Hamilton na Mercedes e Sergio Perez na McLaren. Hamilton teve um começo complicado, inclusive uma batida por falha no freio, mas acabou fazendo mais de 600 quilômetros num dia e diz estar se acostumando bem ao carro. Na comparação com Rosberg, perdeu por dois décimos, mas em dias diferentes. Na McLaren, a melhor marca de Perez ficou a menos de um décimo de Button.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.