Prioridade do campeão é ganhar mais um título da Libertadores

Maior desafio é impedir a saída de Hernanes e Miranda. Mesmo vencedor, o clube tem dívida de R$ 12 milhões

Amanda Romanelli e Giuliander Carpes, O Estadao de S.Paulo

08 de dezembro de 2008 | 00h00

O São Paulo conquistou o inédito hexacampeonato brasileiro, mas já pensa em 2009. Depois de três títulos nacionais consecutivos, uma nova conquista da Taça Libertadores é prioridade absoluta. Além disso, o clube dificilmente segurará sua principal revelação das duas últimas temporadas, o habilidoso volante Hernanes.Pela primeira vez na gestão do presidente Juvenal Juvêncio, o clube deve fechar o ano no vermelho, com dívida estimada em R$ 12 milhões. A dificuldade nas finanças em 2008 deveu-se à decisão de não vender atletas para o exterior e manter o time forte para o segundo semestre. O único atleta negociado na janela de transferências do meio do ano foi o zagueiro Alex Silva, mas o clube lucrou apenas R$ 6,5 milhões na venda para o alemão Hamburgo. A eliminação na Libertadores, contra o Fluminense, nas quartas-de-final, também desfalcou o cofre são-paulino, já que o clube deixou de ganhar R$ 19 milhões, segundo cálculos da diretoria. A maneira mais fácil de fazer dinheiro é vendendo atletas - e Hernanes é o principal candidato para sair, embora Miranda também interesse a times europeus.Outra aposta é o aumento do valor anual de patrocínio. O contrato com a LG, que rende R$ 16 milhões, não será renovado. AOC, Emirates Airlines e Samsung são os principais candidatos a estampar sua marca na camisa são-paulina. Resta saber se o clube conseguirá atingir a sua meta de R$ 30 a R$ 32 milhões por temporada.A diretoria diz, oficialmente, que só tratará de negociações a partir de 8 de dezembro, quando o Brasileiro estará encerrado. Mas já tem pelo menos um reforço acertado: o lateral Wagner Diniz, que está no Vasco. A busca pelo camisa 10 também deve continuar. O argentino Darío Conca, do Fluminense, quase acertou com o time no início de 2008, e pode, desta vez, transferir-se para o Morumbi. Também há interesse em renovar o empréstimo com o zagueiro Rodrigo, que ainda pertence ao Dínamo de Kiev.A permanência do técnico Muricy Ramalho é dada como certa, ao menos pelo presidente Juvenal Juvêncio. Com contrato até o fim de 2009, Muricy não tem o costume de romper vínculos. Mas já recebeu propostas atraentes no meio do ano e, como tricampeão brasileiro, o assédio deve aumentar. A tendência é que o São Paulo segure seu técnico com um bom aumento de salário.MORUMBI E MARKETINGEm março, o Estádio do Morumbi deve ser escolhido como uma das sedes da Copa de 2014 pela Fifa. Mas o desafio do clube é conquistar parceiros que o ajudem a reformar sua casa - a Visa, empresa de cartões de crédito, já é um deles. No cronograma de obras, o ano de 2009 está destinado ao detalhamento do projeto, com o início efetivo das intervenções em 2010. O departamento de marketing também aposta na continuidade de suas ações, como a abertura de lojas em shoppings da cidade com a Reebok, fornecedora de material esportivo. Além disso, o Morumbi, que já conta com uma megaloja e um restaurante, também deve ganhar um livraria, um cinema e uma escola de idiomas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.