AFP
AFP

Procuradores tentam impedir Pistorius de cumprir pena em casa

Velocista olímpico foi condenado por homicídio culposo

Estadão Conteúdo

17 de agosto de 2015 | 15h49

Procuradores que pedem a condenação por homicídio doloso contra o atleta Oscar Pistorius apresentaram uma apelação na Suprema Corte da África do Sul nesta segunda-feira, a quatro dias do velocista olímpico ser liberado para cumprir o restante da pena em casa.

Os advogados de defesa do atleta tem o prazo até 17 de setembro para apresentar uma resposta antes da audiência que está marcada para novembro. A intenção dos procuradores é formar um grupo de juízes na Suprema Corte para anular a decisão da juíza Thokozile Masipa, que reverteu a acusação de Pistorius de homicídio doloso para culposo, quando não há a intenção de matar. Condenado a cinco anos de prisão, ele cumpriu apenas dez meses de encarceramento e agora ficará em casa por bom comportamento.

Pistorius assassinou sua namorada Reva Steenkamp em 2013. Os dois moravam juntos e ele diz ter disparado acidentalmente contra a modelo que estava atrás da porta do banheiro de sua casa. O atleta justifica que se assustou com um barulho e achou que houvesse um ladrão na residência.

Os advogados de acusação sustentam que o atleta deve ser considerado culpado porque ele sabia que ao disparar através da porta do banheiro quem quer que estivesse ali dentro morreria sem que houvesse uma justificativa. Se os juízes acatarem a apelação, Pistorius poderá ser condenado a até 15 anos de prisão, sem direito a pena domiciliar.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismoPistoriusapelação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.