Promessa, Daynara é flagrada no antidoping

Amazonense de apenas 20 anos, revelação no nado borboleta, é pega pelo uso do [br]diurético furosemida

Amanda Romanelli, O Estado de S.Paulo

29 de abril de 2010 | 00h00

A amazonense Daynara de Paula, de 20 anos, uma das revelações da natação feminina, foi flagrada em exame antidoping realizado durante os Jogos Sul-Americanos de Medellín (Colômbia), em março. O resultado analítico adverso - que significa a detecção de substância proibida pela Agência Mundial Antidoping - foi confirmado pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COI) e pela Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA).

Em nota oficial, as entidades não revelaram qual era o agente proibido. Ao Estado, a diretora-adjunta da área de doping da CBDA, a médica e ex-triatleta Sandra Soldan, confirmou que a amostra de Daynara contém furosemida, um diurético.

Daynara, que é atleta do Minas Tênis Clube, ainda não está suspensa, mas retirou-se voluntariamente das competições. Portanto, não estará na piscina da Universidade Santa Cecília, em Santos, que receberá o Troféu Maria Lenk a partir de segunda-feira. A competição - equivalente ao Campeonato Brasileiro - define o clube campeão nacional e também vale como seletiva para o Pan-Pacífico, o principal compromisso da seleção brasileira nesta temporada. O torneio será realizado em Irvine (EUA), entre 18 a 23 de agosto.

Especialista no nado borboleta, ela participou os Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, e do Mundial de Desportos Aquáticos, em 2009 - chegou à final dos 50 m e ficou na 8.ª posição. Em Medellín, Daynara conquistou cinco ouros (50 m e 100 m borboleta; 4 x 100 m medley, 4 x 100 m e 4 x 200 m livre). Deve perder todas as medalhas.

Sandra Soldan afirma que Daynara já fez sua defesa. "Ela esteve ontem (terça-feira) na sede do COB e deu suas explicações." Segundo a médica, a nadadora teria mencionado o uso de cápsulas feitas em farmácias de manipulação. "O positivo por furosemida causa estranheza, porque não há nenhum tipo de benefício para o desempenho."

A furosemida - também encontrada no exame surpresa realizado pela ginasta Daiane dos Santos, no ano passado - é normalmente utilizada em esportes como o judô. Por ser um diurético, ajuda na eliminação de líquidos, o que diminui o peso. Mas também pode ser um mascarante para aqueles que usam anabolizantes.

"Não há nada que indique o uso da substância para nenhum desses fins. Ela é uma atleta magra, com pouca massa", pondera Sandra. Apelidada de "magrela", Daynara tem 1,75 m e pesa apenas 52 kg.

A CBDA espera, agora, um comunicado oficial da Federação Internacional de Natação (Fina) para decidir qual penalidade será aplicada à atleta. "Isso deve ocorrer nos próximos dias", afirma Sandra Soldan. Essa é a primeira vez que um atleta brasileiro é flagrado em um exame antidoping realizado no exterior.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.