EFE
EFE

Promessa espanhola do golfe é encontrada morta em campo nos EUA

Célia Barquin, de 22 anos, foi duas vezes campeã europeia amadora e disputaria principais torneios do esporte em 2019

O Estado de S.Paulo

18 de setembro de 2018 | 11h28

Célia Barquín, de 22 anos, foi encontrada morta em um campo de golfe nos Estados Unidos. A espanhola era considerada uma das maiores promessas do golfe, tendo vencido alguns dos principais torneios amadores individuais na Europa. As investigações sobre o caso ainda estão sendo realizadas, mas a polícia já deteve o principal suspeito, Collin Daniel Richards.

A polícia foi chamada após atletas encontrarem os tacos de Célia abandonados no campo de golfe 'Coldwater', em Ames, Iowa. O corpo da espanhola foi encontrado já sem vida, e as primeiras investigações apontam que ela teria sido agredida até morrer.

Nascida em Puente San Miguel, na Espanha, Celia Barquín era considerada uma das grandes promessas do esporte. Recentemente, venceu o torneio feminino de golfe Big 12 e foi nomeada a esportista feminina do ano da universidade de Iowa, onde estudava engenharia civil. Em âmbito nacional também se sagrou campeã europeia na categoria amador feminina em grupos duas vezes.

Barquín já havia recebido convite para o Aberto de Golfe Britânico e conseguido se classificar para disputar o Aberto dos Estados Unidos do esporte em 2019. "Ela era uma ótima aluna e uma atleta muito talentosa, uma golfista com um futuro muito promissor e esplêndido. Nunca esqueceremos o quanto era competitiva e sua paixão por viver", disse Wendy Wintersteen, presidente da universidade de Iowa. 

A Associaciação Europeia de Golfe afirmou que Barquín era uma "jovem senhorita encantadora que inspirou a todos que conheceu". Alejandro Blanco, chefe do Comitê Olímpico Espanhol, assegurou que estava chocado com a tragédia e expressou solidariedade com a família da golfista. O Ministro dos Esportes da Espanha, Jose Guirao, lamentou e disse que Barquín tinha um grande futuro pela frente.

Tudo o que sabemos sobre:
golfeviolência contra a mulher

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.