Protestos no Rio acabam em confusão em Copacabana

Manifestação começa em frente ao hotel Copacabana Palace

Ronaldo Lincoln Jr. e Sergio Torres, Agência Estado

25 de janeiro de 2014 | 21h33

RIO - O protesto contra a realização da Copa do Mundo reuniu no Rio cerca de 300 pessoas, que fizeram uma caminhada pacífica pela orla de Copacabana (zona sul) até o final da praia. Depois disso, formou-se um grande tumulto, provocado pelos black blocs, com correria entre os carros presos no engarrafamento.

O protesto começou em frente ao hotel Copacabana Palace, que foi protegido por grandes de ferro, seguranças particulares e cerca de 150 policiais militares. A pista da Av. Atlântica no sentido Ipanema foi interditada pelos manifestantes, que seguiram em passeata sempre acompanhados pela Polícia Militar.

A principal preocupação dos policiais era os cerca de 30 black blocs reunidos bem no meio da passeata, responsáveis pelas depredações e ações violentas registradas nas manifestações de rua no ano passado. A PM contou com o apoio de um helicóptero, que sobrevoou a praia de Copacabana, bastante cheia devido ao sábado ensolarado.

Quando a passeata chegou ao final da praia de Copacabana, a pista sentido Botafogo da Atlântica foi fechada, e a sentido Ipanema, esvaziada. Foi quando a confusão começou. Black blocs provocaram e ofenderam os PMs, que ameaçaram prendê-los.

Com o tumulto controlado, a passeata seguiu até o Posto 8 da praia de Ipanema, onde os manifestantes pararam. Participou do protesto o manifestante que costuma se fantasiar de Batman, assim como o que imita o Coringa, um dos inimigos do super-herói norte americano.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2014futebolprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.