Psicóloga explica sucesso do álbum: o contato social

O roubo do lote de figurinhas do álbum Copa evidencia o quanto elas estão fazendo sucesso neste ano. Para a psicóloga e pesquisadora da Unifesp Eliana Melcher Martins, a necessidade do ser humano de se reunir com outras pessoas é uma das principais causas dessa febre. "Numa cidade grande como São Paulo, onde as pessoas mal conversam com os vizinhos, a troca de figurinhas seria uma justificativa para reunir pessoas", afirma.

, O Estado de S.Paulo

23 de abril de 2010 | 00h00

De acordo com ela, o paulistano, em geral, é muito carente de contato social por valorizar mais o trabalho do que a diversão. "No dia a dia, falta um pouco de lazer, descontração", diz. A troca de figurinhas funciona, assim, como uma forma de as pessoas se permitirem relaxar um pouco em meio a um cotidiano estressante.

Os consumidores de figurinhas se surpreenderam com a notícia do roubo. "É impressionante ver as proporções que isso tomou. Acho que nem a Panini, nem os colecionadores mais antigos imaginavam que o álbum ia fazer tanto sucesso a ponto de ser motivo de roubo", diz o analista de marketing Oliver Thiago Toma da Silva, de 31 anos. / MARIANA LENHARO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.