Yves Logghe/AP - 16/9/2011
Yves Logghe/AP - 16/9/2011

Punição contra campeão olímpico Bekele é suspensa

Fundista etíope e outros 34 atletas haviam sido afastados de competições por terem faltado a treinos

AE-AP, Agência Estado

24 de janeiro de 2012 | 09h58

BRUXELAS - O presidente da Federação Etíope de Atletismo, Bisrat Gashawten, afirmou nesta terça-feira que a punição aplicada a Kenenisa Bekele, campeão olímpico nas provas dos 5.000 e 10.000 metros nos Jogos de Pequim, em 2008, foi suspensa. O fundista da Etiópia, ao lado de outros 34 atletas do país, havia sido proibido de participar de competições locais e internacionais por tempo indeterminado após ter faltado a um período de treinos, agendado para o início deste mês, visando o Mundial Indoor que será realizado em março.

Entre os atletas punidos estava também a campeã olímpica dos 5.000 e 10.000 metros em Pequim, Tirunesh Dibaba. A punição foi anunciada na semana passada pela entidade que controla o atletismo na Etiópia, mas o próprio organismo já havia admitido que poderia anular a suspensão aos atletas se os mesmos justificassem o motivo da ausência aos treinamentos.

O próprio empresário de Bekele, Jos Hermens, minimizou a importância da punição e acusou a federação local de querer chamar a atenção do público com a mesma, após a Etiópia amargar uma participação ruim no último Mundial de Atletismo, realizado em Daegu, na Coreia do Sul, em agosto de 2011.

A punição anunciada pela entidade chegou a colocar em dúvida a participação de Bekele e outros atletas da Etiópia na Olimpíada de Londres, cujas competições de atletismo acontecerão em agosto. Entretanto, agora o corredor e seus compatriotas estão liberados para defender o país nos Jogos Olímpicos.

A suspensão da punição aos atletas aconteceu após uma reunião realizada na noite da última segunda-feira, que contou com a presença de dirigentes da Federação Etíope de Atletismo, dos atletas e de seus representantes. "Nós concordamos em discutir todos os assuntos relativos aos seus problemas", disse Bisrat Gashawten, depois de confirmar que todos foram oficialmente reintegrados para poder participar de competições a partir de agora.

A Etiópia é, assim como o Quênia, uma grande força do atletismo em provas de longa distância, sendo que no último Mundial os etíopes conquistaram apenas uma medalha de ouro, contra sete dos quenianos na competição. E o país de Bekele foi apenas o nono colocado no quadro geral da competição, com apenas cinco medalhas ao total, diante das 17 do Quênia, que ficou em terceiro lugar. O fato teria motivado a Federação Etíope de Atletismo a anunciar a punição severa após a ausência dos seus atletas ao período de treinamentos marcado para o início deste mês.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismoKenenisa Bekele

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.