Quartas de final com cara de Copa América

Pela primeira vez na história das Copas, quatro seleções sul-americanas estão classificadas entre as oito melhores

Alfredo Junqueira / RIO, O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2010 | 00h00

Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai. Pela primeira vez na história das Copas do Mundo, quatro seleções sul-americanas vão participar das quartas de final de um torneio. A classificação do Paraguai nos pênaltis, após um sonolento 0 a 0 com o Japão, consagrou a boa fase dos times do Cone Sul. A configuração das chaves ainda permite a expectativa de que a semifinal seja disputada apenas pelos representantes da América do Sul. As quartas ainda têm três times da Europa (Alemanha, Espanha e Holanda) e um da África (Gana).

Se a fase de grupos da Copa da África do Sul foi marcada pela falta de emoção, a escassez de gols e o baixo nível técnico, as oitavas de final deram algum alento ao torcedor. A nota negativa ficou por conta da arbitragem, que errou ao validar gols ilegais nas partidas que classificaram a Alemanha, a Argentina e a Espanha .

O equilíbrio marcou a maior parte dos confrontos nesse início de mata-mata. Com a exceção de Chile e de México, que foram totalmente dominados por Brasil e Argentina, respectivamente, todos os times derrotados acalentaram a chance de classificação. Mesmo a Inglaterra, que apanhou de 4 a 1 da Alemanha, cresceu no fim do primeiro tempo da partida e conseguiu a empatar o jogo por 2 a 2 ? depois de estar perdendo por 2 a 0. Pena que o árbitro uruguaio Jorge Larrionda não tenha visto a bola chutada por Lampard no travessão quicar dentro do gol alemão. O gol não foi validado e os ingleses sucumbiram aos contra-ataques da Alemanha.

Jogos emocionantes. O equilíbrio entre as seleções fez com que quatro dos oito jogos disputados nessa fase terminassem com diferença mínima entre vencedor e perdedor.

O Uruguai teve que suar para se impor diante da eficiente Coreia do Sul por 2 a 1. Os asiáticos chegaram a empatar a partida e partiram para frente. Somente aos 35 minutos do segundo tempo o atacante Suárez fez o gol que colocou o Uruguai novamente nas quartas de final pela primeira vez desde a Copa de 1970.

O mesmo ocorreu com Gana. O remanescente africano na Copa da África do Sul só foi superar os Estados Unidos na prorrogação. A partida terminou empatada por 1 a 1. Logo aos três minutos do primeiro tempo da prorrogação, o atacante Asamoah Gyan arrancou pelo meio e soltou uma bomba indefensável no ângulo do goleiro Howard.

A próxima adversária brasileira, a Holanda superou a Eslováquia também por margem estreita, 2 a 1. A diferença é que a reação eslovaca, que participava pela primeira vez de uma Copa, demorou muito a ocorrer. O gol de pênalti marcado por Vittek ? um dos artilheiros da competição com quatro gols ? ocorreu aos 48 do segundo tempo.

Ontem, a Espanha também fez o necessário para garantir a classificação. Foi difícil, mas conseguiu superar Portugal por 1 a 0. Vai enfrentar agora o Paraguai, num duelo entre times que marcaram poucos gols neste mundial. A Espanha balançou as redes cinco vezes. O Paraguai, três.

O melhor resultado conjunto das seleções sul-americanas até hoje havia ocorrido nas Copas de 1970 (México) e 1978 (Argentina), com três representantes da América do Sul classificados entre as oito melhores dos torneios. Na Copa em que a seleção brasileira se sagrou tricampeã, tivemos a companhia de Uruguai e Peru nas quartas de final. Na ocasião, o time dos sonhos liderado por Pelé atropelou os vizinhos nas fases decisivas. O Brasil bateu o Peru por 4 a 2 nas quartas de final e o Uruguai, por 3 a 1, na semifinal.

Na Copa da Argentina, além do Brasil e dos donos da casa, o Peru novamente esteve entre as oito melhores seleções do torneio. É verdade que a suspeitíssima goleada sofrida para os anfitriões na última partida maculou, para sempre, a participação peruana. Os 6 a 0 garantiram a participação da Argentina na final e jogaram o Brasil para a disputa da terceira colocação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.