Chris O'Meara/AP
Chris O'Meara/AP

Quarterback dos Packers entra para a galeria dos MVP do futebol americano

Aaron Rodgers superou a pressão de substituir um ídolo para entrar na lista dos melhores

Efe

07 de fevereiro de 2011 | 10h32

DALLAS - Nem a dureza da competição, que deixou com duas concussões cerebrais no começo da temporada, nem a sombra da figura do lendário Brett Favre, impediu o quarterback Aaron Rodgers de ver cumprido seu sonho de chegar a um Super Bowl, ganhá-lo e ser nomeado Jogador Mais Valioso (MVP, em inglês).

Tudo isso foi conseguido por Rodgers, de 27 anos, após comandar o Green Bay Packers à vitória de 31 a 25 frente os Pittsburgh Steelers, na 45.ª edição da decisão da NFL, disputado no Cowboys Stadium de Arlington (Texas).

Sua atuação foi simplesmente brilhante desde o início para completá-la com estatísticas que não deixaram nenhuma dúvida que tinha sido o destaque e o líder dos Packers.

A equipe de Green Bay voltou a levar para casa o troféu Vince Lombardi, nomeado em honra a seu lendário ex-treinador, com o qual ganhou os dois primeiros títulos do Super Bowl.

"É o prêmio de todos meus companheiros, de toda a organização e sobretudo daqueles jogadores que saíram do banco para cobrir os postos dos machucados e fizeram um trabalho excepcional quando mais precisamos", declarou Rodgers.

Veja também:

link Assentos inseguros deixam torcedores indignados no Super Bowl

link Super Bowl XLV fica perto da melhor marca de público

link Packers campeão do Super Bowl XLV

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.