Quarteto diz não ao clube e entra para assistir à partida

Torcedores ignoram o pedido do Corinthians e fazem valer liminar que garantia presença deles no confronto de ontem

PAULO FAVERO, VÍTOR MARQUES, O Estado de S.Paulo

28 de fevereiro de 2013 | 02h07

Mesmo com a pressão do Corinthians para que eles não entrassem no estádio, quatro torcedores fizeram valer a liminar que garantia a presença deles no Pacaembu e foram os únicos representantes da Fiel nas arquibancadas. Armando José Terreri Rossi Mendonça, Milton Guilherme Rossi Mendonça, Karina Bellinato Mendonça e Rodrigo Adura conseguiram uma decisão favorável do juiz de Direito Antonio Carlos Figueiredo Negreiros, da 7.ª Vara Cível, e assistiram ao confronto contra o Millonarios. Dois outros torcedores - Gerson Mendonça Neto e Maurício Andreanelli Pimenta - alegaram que não compareceriam por motivos pessoais.

"Vivemos em um país democrático. Os advogados do Corinthians não queriam que a gente entrasse, por ser uma ordem da Conmebol. Eu até entendo a posição deles, mas resolvi procurar meu direito em assistir ao jogo", disse Milton, lembrando que o grupo ficou quase uma hora para entrar no Pacaembu.

Armando é advogado e ajudou a entrar com o pedido de liminar. "Sou torcedor, sou consumidor e quero fazer valer o meu direito! Comprei meu ingresso há dois meses", justificou.

Os dirigentes do clube tentaram de todas as formas evitar que eles ficassem do lado de fora, mas não conseguiram convencer o quarteto. Segundo Luiz Alberto Bussab, diretor jurídico do Corinthians, a conversa não deu resultado. "Queremos deixar bem claro que não colaboramos com isso, pelo contrário, tentamos impedir de todas as formas. Ponderamos e pedimos que eles não exercessem o direito, pois queríamos obedecer na íntegra o que a Conmebol pediu. Tanto que quem cumpriu a ordem foi a Polícia Militar", conta, lembrando que o próprio delegado da Conmebol se recusou a receber os documentos.

Desde o final da tarde de ontem o policiamento já estava preparado para a chegada dos torcedores. Segundo o tenente Razuk, o documento chegou em sua mão por volta das 17 horas e ele garantiu que todos teriam direito a entrar no estádio. "Não podemos cercear uma decisão judicial", avisou, segurando os papéis.

Bussab revela que inúmeros torcedores deram entrada com ações, mas a maioria não deu resultado e foram negadas. Ele também entende que muitas outras pessoas vão buscar o mesmo caminho para os próximos jogos, mas garante que o Corinthians prefere que isso não aconteça. "Vamos ver nos próximos dias a repercussão disso."

Para Luiz Felipe Santoro, advogado do clube, a entrada dos quatro torcedores não deve atrapalhar a situação com a Conmebol. "Não acredito em prejuízo, muito menos em benefício com isso. Elas entraram com a liminar baseada no Código de Defesa do Consumidor e não na Justiça Desportiva", lembra.

Santoro sabe que para o próximo confronto no Pacaembu, outras liminares aparecerão. "Mesmo que outras pessoas façam isso para o outro jogo, o Corinthians vai manter a mesma posição: ser contra a entrada."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.