David J. Phillip / AP
David J. Phillip / AP

Darlan Romani fica em 2º em etapa da Diamond League nos EUA com sua melhor marca do ano

Arremessador brasileiro ficou na quarta posição nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Redação, Estadão Conteúdo

21 de agosto de 2021 | 20h08

A Diamond League, o principal circuito de competições da World Athletics, voltou neste sábado depois do intervalo provocado pela disputa dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020. O tradicional Prefontaine Classic, a etapa de Eugene, foi realizado no estádio Hayward Field, na Universidade de Oregon, nos Estados Unidos, local onde será disputado o Mundial de 2022.

Duas semanas depois de chegar ao quarto lugar no arremesso de peso em Tóquio, Darlan Romani voltou para a disputa a fim de iniciar o ciclo olímpico rumo a Paris-2024. Neste sábado, o brasileiro fechou a disputa na segunda posição, deixando para trás algozes da última Olimpíada.

Darlan Romani conseguiu o vice-campeonato depois de atingir 21,44 metros, a sua melhor marca do ano. Na final, o brasileiro teve pela frente os medalhistas olímpicos americanos Ryan Crouser (ouro) e Jon Kovacs (prata). Crouser, com 22,41 metros, acabou em primeiro lugar, enquanto que Kovacs, que queimou o arremesso final, ficou com o terceiro.

Com o resultado, o brasileiro avança na Diamond League e deixa para trás algozes dos últimos Jogos Olímpicos, como Kovacs e Tom Walsh, da Nova Zelândia, que completou o pódio em Tóquio. Darlan Romani foi o único atleta do Brasil a representar o país neste sábado pela competição.

O brasileiro agora viaja para a Europa e disputa duas etapas da Diamond League - Lausanne, na Suíça, na próxima quinta-feira, e Zurique, também em solo suíço, em 9 de setembro - e o Meeting de Chorzow, na Polônia, no dia 4 de setembro.

NOVA VITÓRIA

Depois de deixar a Olimpíada de Tóquio com o recorde olímpico e três medalhas de ouro nos 100 e 200 metros, além do 4x100 metros feminino, a jamaicana Elaine Thompson-Herah voltou a voar baixo neste sábado em Eugene. A atleta de 29 anos atingiu os 10s54 nos 100 metros, batendo o recorde pessoal e assegurando mais uma vez o posto de mulher mais rápida do mundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.