Quatro brasileiros se garantem na quarta rodada em Bells Beach

Medina, Filipinho, Mineirinho e Jadson André representam o País

Felippe Scozzafave, O Estado de S. Paulo

06 de abril de 2015 | 01h04

O Brasil teve uma segunda-feira dos sonhos em Bells Beach, na Austrália. Os quatro representantes do País que foram para a água venceram suas baterias e se garantiram entre os 12 surfistas que disputarão a quarta rodada da segunda etapa do circuito mundial de surfe.

O primeiro brasileiro a cair na água foi Adriano de Souza, que não precisou nem de um minuto para conquistar um 7,50 em uma onda em que, com muitas rasgadas, espalhou bastante água em Bells. Depois de um início de reação do australiano Adam Melling, Mineirinho voltou a brilhar, com um 8,17. Com uma nota acumulada de 15,67, o brasileiro conseguiu administrar a bateria e, com muita tranquilidade, confirmou a sua classificação para enfrentar Josh Kerr e o multicampeão Kelly Slater na quarta rodada.

E a mesma calma mostrada por Adriano na água, foi mostrada por ele na entrevista após sua vitória, quando pediu desculpas pela sua explosiva reação no dia anterior, quando, inconformado com as notas que recebia, deixou a água antes do fim da bateria. "Foi muito importante para mim e estou muito satisfeito de estar no round 4. Queria pedir desculpa pelo que fiz ontem, não é a melhor maneira de lidar com a situação e os fãs, então me desculpem, perdão WSL, foi minha culpa".

A bateria de Gabriel Medina foi uma das mais tensas do dia, com o mar mais calmo, ficando, consequentemente, mais difícil para os surfistas conseguirem boas ondas. Com dez minutos de disputa, o brasileiro ainda não tinha conseguido pontuar. Sua primeira onda foi relativamente fraca, sem muitas combinações de movimentos, para conquistar uma nota 4. Depois de conseguir um 3,33, o atual campeão mundial entrou em uma onda maior, conquistando um 6 e subindo sua combinação de notas para 10. A contagem, apesar de baixa, não foi alcançada por Mason Ho, que, na somatória, ficou com 8,10.

Após confirmada a sua classificação, Medina comentou que já estava preparado para um mar "flat" e elogiou o seu adversário: "Eu e meu pai estávamos falando das ondas e vi que seria difícil, que eu precisaria saber me posicionar bem no ar. É sempre desafiador enfrentar convidados, mas eu consegui vencer. Mason surfa muito bem".

Na 10ª bateria do dia, Jadson André foi quem representou o Brasil, enfrentando o experiente australiano Taj Burrow, de quem já havia sido derrotado em 16 oportunidades. O brasileiro não se intimidou e liderou a disputa desde o início. Com notas baixas no início, o potiguar aproveitava as ondas para somar mais pontos e conseguiu uma soma de 13,87, inalcançável para o seu rival, que tirou apenas uma nota 7.

Logo na sequência, o líder da temporada Filipe Toledo foi para a água e, mais uma vez, mostrou o porque é o grande nome do surfe mundial em 2015. Abusando dos aéreos, ele protagonizou a melhor bateria do dia contra o havaiano Sebastian Zietz e, com notas 9 e 9,57, somou 18,57, a melhor soma desde o início do evento, se garantindo na quarta fase.

O brasileiro, tido por todos como o grande destaque da bateria, voltou a esbanjar confiança e maturidade. "Eu só tento fazer o meu melhor e me divertir. Tenho a meta de continuar em primeiro até o fim do ano. Eu faço o que amo fazer e tenho trabalhado fisicamente e mentalmente. Depois da vitória na Gold Coast, eu me sinto muito mais confortável".

CONFRONTOS DA QUARTA RODADA:
Kelly Slater x Josh Kerr x Adriano de Souza
Joel Parkinson x Owen Wright x Gabriel Medina
Mick Fanning x Nat Young x Jordy Smith
Jadson André x Filipe Toledo x Jeremy Flores

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.